segunda-feira, outubro 07, 2013

As Conspirações Dos Atiradores " problematicos " Dos E.U.A



MATÉRIA DO JORNAL ONLINE **** 16/09/2013
Polícia dos EUA conclui que atirador do prédio da Marinha agiu sozinho
Em 42 minutos, atirador matou 12 pessoas e feriu ao menos 13.
Aaron Alexis carregava uma arma de grande porte, um rifle e uma pistola.

Hélter Duarte Nova York, EUA
A polícia dos Estados Unidos concluiu que o atirador, responsável pela morte de 12 pessoas em um prédio da Marinha em Washington, agiu sozinho. Ele foi morto em uma troca de tiros com policiais.
As buscas foram encerradas por volta das 22hs, no horário de Brasília, quando o FBI informou que Aaron Alexis, um ex-integrante da Marinha americana, agiu sozinho. Antes, havia a suspeita de que um segundo atirador estivesse escondido no bairro. Pelo menos dois mil funcionários ficaram na base naval prestando depoimento. A polícia ordenou que os moradores da região ficassem dentro de casa.
O pai de Aaron Alexis, que mora em Nova York, disse à polícia que o filho trabalhou no resgate das vítimas dos atentados às Torres Gêmeas e que desde então ficou perturbado. O cunhado do atirador afirmou que a família está chocada.
Aaron trabalhava para uma empresa de informática que presta serviços à Marinha. A companhia informou que ele tinha um cartão que dava acesso à base naval e a outras instalações militares sem ser revistado, uma regalia perigosa para alguém que havia sido exonerado da Marinha por má conduta e tinha ficha na polícia por participar de dois tiroteios.
Amigos disseram que Aaron estava com problemas financeiros e que era um homem que gostava de armas, bebia muito e batia em mulheres, mas ninguém imaginava que ele seria capaz de cometer um massacre a poucos quilômetros do lugar onde trabalha o presidente americano Barack Obama.
A capital dos Estados Unidos tomada por carros de polícia, homens da Swat e do FBI, ambulâncias e helicópteros. O aeroporto Ronald Reagan foi fechado para decolagens. Escolas foram esvaziadas. “Não temos um dia assim desde o dia 11 de setembro”, diz a delegada Eleanor Holmes.
Eram 8h20 da manhã desta segunda-feira (16). Os funcionários chegavam para trabalhar no mais antigo complexo da Marinha, em Washington, quando os primeiros tiros foram ouvidos no prédio.
Na base naval, que fica a quatro quilômetros da Casa Branca, trabalham três mil civis e militares. O atirador carregava uma arma de grande porte, provavelmente um fuzil AR-15, além de um rifle e uma pistola. Ele mirava com precisão. O comandante da Marinha Tim Jirus viu quando um homem foi atingido na cabeça e morreu na hora.
Em 42 minutos, o atirador matou 12 pessoas e feriu pelo menos outras 13. Ele foi morto após troca de tiros com a polícia. O homem foi identificado como Aaron Alexis, um nova-iorquino de 34 anos que entrou na Marinha em 2007 e foi dispensado em 2011 por problemas de conduta. Michael Ritrovato, amigo do atirador, afirma que ele gostava de armas, mas que nunca agiu como se pudesse machucar alguém.
A bandeira da Casa Branca ficou a meio mastro. O presidente Barack Obama falou sobre a tragédia. “Estamos enfrentando mais um massacre hoje. Este foi numa instalação militar, na nossa capital e atingiu homens e mulheres que têm a função de nos proteger. Eles conhecem os perigos de servir no exterior, mas nunca poderiam esperar o que aconteceu dentro de casa", diz.
Na noite desta segunda-feira (16), houve um novo susto. Com a cidade em alerta máximo, um homem disparou fogos de artifício ao lado da Casa Branca. Pessoas começaram a espalhar por redes sociais que estavam ouvindo tiros na sede do governo americano, mas a polícia desmentiu e prendeu o responsável pelos fogos, que será processado.
fonte
http://g1.globo.com


 --------------------------------------------------------------------------------------------------


25/09/2013 15h33 - Atualizado em 25/09/2013 21h55
FBI divulga imagens de atirador que matou 12 em base naval nos EUA
Aaron Alexis achava que era 'controlado' por ondas eletromagnéticas.
Ele agiu sozinho e não tinha alvos definidos, segundo a investigação.
Do G1, em São Paulo 



 
























O FBI (a polícia federal dos EUA) divulgou nesta quarta-feira (25) um vídeo com imagens do atirador Aaron Alexis, que matou 12 pessoas em um prédio da Marinha em Washington antes de ser morto após trocar tiros com a polícia durante uma hora.
As imagens (assista ao lado) mostram Alexis chegando ao prédio, ao qual ele tinha livre acesso. Lá dentro, já armado, ele percorre o local, preparando-se para o tiroteio que ocorreria em seguida.
Valerie Parlave, diretora assistente responsável pelo caso, disse que o atirador acreditava que estava sendo controlado virtualmente por ondas eletromagnéticas.
"Nós encontramos comunicações relevantes dele, em formato eletrônico, que indicam a crença ilusória de que ele estivesse sendo controlado por ondas eletromagnéticas de extremamente baixa frequência nos últimos três meses", disse.
saiba mais
Segundo a investigação, Alexis agiu sozinho no tiroteio, ocorrido em 16 de setembro na base administrativa de Navy Yard, a cerca de 5 quilômetros da Casa Branca. Ele aparentemente não tinha alvos definidos.
Alexis, de 34 anos, era natural do Texas e serviu em tempo integral na reserva da marinha de maio de 2007 a janeiro de 2011.
O incidente esquentou o debate sobre a segurança das instalações militares nos EUA.


 http://www1.folha.uol.com.br
-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
31/08/2012 - 14h10
Ex-fuzileiro naval é apontado como atirador de supermercado nos EUA
O ex-fuzileiro natal Terence S. Tyler, 23, é apontado pela polícia de Nova Jersey como o atirador que matou duas pessoas em um supermercado na cidade de Old Bridge, nesta sexta-feira.
De acordo com os agentes, ele morava em Old Bridge e trabalhava no supermercado há duas semanas.O promotor do condado de Middlesex, Bruce Kaplan, afirmou que o suposto atirador e as vítimas trabalhavam na troca de estoque da loja no momento do ataque.

Reuters





Frente do supermercado onde ocorreu ataque que matou duas pessoas; suposto atirador é ex-fuzileiro naval
No tiroteio, o ex-militar matou dois colegas, uma mulher de 18 anos e um homem de 24, ao entrar na loja com um fuzil AK-47 e uma pistola por volta das 4h locais (5h em Brasília). Ele diz que o ex-militar se matou após a ação.
Nascido no Brooklyn, Tyler serviu no Corpo de Fuzileiros Navais dos Estados Unidos entre 2008 e 2010. Ele serviu como cabo e franco-atirador e recebeu duas condecorações, apesar de nunca ter estado em operações de guerra.
AÇÃO 
Forças de segurança consultadas pela rede de televisão NBC dizem que ele saiu da loja para ir a seu carro, onde pegou as armas para começar o tiroteio.
Os funcionários o viram pegar o fuzil e a pistola e fecharam a porta, mas ele atirou contra as janelas e conseguiu entrar, matando duas pessoas para depois cometer suicídio.
Os agentes afirmam que entre 12 e 14 pessoas trabalhavam no momento do ataque. Alguns funcionários correram para escapar. Eles dizem que Tyler teve histórico de depressão ou doenças mentais.
O incidente acontece uma semana depois de um homem matar três pessoas próximo ao Empire State Building, em Manhattan, e pouco mais de um mês após um outro atirador matar 20 pessoas em um cinema do Estado do Colorado.
http://www1.folha.uol.com.br
------------------------------------------------------------------------------------------------
31/08/2012 - 10h11
Relembre outros ataques a tiros nos EUA
Pelo menos três pessoas --incluindo o atirador-- morreram após um tiroteio nesta sexta-feira em um supermercado de Old Bridge, em Nova Jersey, nos Estados Unidos.
Nos últimos meses, casos de tiroteio nos Estados Unidos têm ganhado destaque em todo o mundo. Na sexta-feira passada (24), um homem abriu fogo em um ponto próximo do Empire State Building, em Nova York, matando um ex-colega de trabalho antes de ser morto. Outras nove pessoas ficaram feridas por disparos feitos pela polícia.
Em 14 de agosto, um homem matou duas no Texas ao resistir a uma ordem de despejo. De acordo com a polícia, Thomas Alton Caffall, 35, abriu fogo contra o policial Brian Bachmann no momento em que ele entregava a notificação.
O ataque aconteceu em um ponto próximo do campus da universidade Texas A&M, em College Station (Texas). O policial, o atirador e uma terceira pessoa morreram.
ATAQUE NO CINEMA
No dia 5, um atirador entrou em um templo sikh (religião monoteísta indiana) nas cercanias de Milwaukee, no Estado americano de Wisconsin, e matou seis fiéis antes de se suicidar.
O ataque foi feito na manhã de um domingo, durante uma cerimônia religiosa. Segundo o FBI (Birô Federal de Investigação, em inglês), o ex-militar Wade Michael Page disparou contra si mesmo na cabeça após um policial de Oak Creek ter atirado em sua barriga para evitar que ele continuasse a matar os fieis. 

















RJ Sangosti/France Presse

James Holmes durante audiência judicial; ele recebeu 142 acusações criminais
Em 20 de julho, o ex-estudante James Holmes, 24, entrou armado em um cinema de Aurora, subúrbio da cidade de Denver (Colorado), e disparou contra a plateia, matando 12 pessoas e ferindo outras 58 durante a pré-estreia do filme "Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge".
Promotores do Estado do Colorado indiciaram Holmes por 24 acusações de assassinato e 116 acusações de tentativa de homicídio. Seu advogado de defesa disse que seu cliente tem "uma doença mental" e que ele teria tentado obter ajuda antes do ataque.
* Veja cronologia de outros ataques nos EUA
2012
2 de abril Um coreano de 43 anos mata sete pessoas na Universidade Religiosa de Oikos (Califórnia), antes de se entregar à polícia. O atirador assassinou metodicamente suas vítimas depois de alinhá-las contra um muro.
* 2011
7 de agosto Um homem matou sete pessoas, incluindo um menino de onze anos, antes de ser morto pela polícia em laCopley Township, no nordeste do Estado de Ohio.
12 de outubro No balneário de Seal Beach, na Califórnia, um homem, que tinha problemas com sua ex-esposa pela custódia do filho, abre fogo no salão de cabeleireiros onde ela trabalhava, deixando oito mortos.
* 2010
3 de agosto Um homem que tinha problemas com seus empregadores mata oito colegas em uma empresa de distribuição de cerveja em Connecticut, antes de suicidar-se
* 2009
3 de abril O vietnamita Jiverly Voong, 42, disparou 98 vezes em aproximadamente um minuto em um ataque no prédio da organização de atendimento aos imigrantes em que estudava inglês, na cidade de Binghamton, em Nova York. No ataque, 13 pessoas foram mortas além do próprio atirador, que se suicidou ao final da ação, com um tiro na cabeça. entre as vítimas, está um professor brasileiro.
29 de março Robert Stewart,45, disparou contra pacientes de uma clínica especializada em idosos com o Mal de Alzheimer, em Carthage, pequena cidade da Carolina do Norte. Oito pessoas morreram na tragédia: um homem de 98 anos, quatro mulheres na casa dos 80 anos, duas pessoas com cerca de 70 e uma enfermeira.
10 de março Homem mata nove pessoas --entre elas sua mãe e outros quatro parentes-- em uma série de ataques e depois se suicida no sul do Estado do Alabama.
5 de março Cinco pessoas morreram, entre elas três crianças, quando Davon Crawford as atacou na cidade de Cleveland, em Ohio.
* 2008
28 de novembro Duas pessoas morreram em um tiroteio dentro de uma loja de brinquedos na Califórnia. O tiroteio aconteceu na chamada "Black Friday" (sexta-feira negra), no dia seguinte à quinta-feira de Ação de Graças, quando as lojas dos EUA dão importantes descontos para lançar a temporada de compras de Natal, atraindo uma multidão.
31 de outubro Quatro pessoas morreram durante um tiroteio em um restaurante da cidade de Marrero, no Estado da Louisiana. Entre as vítimas estavam dois irmãos que eram proprietários do local. Os outros dois mortos seriam clientes do estabelecimento.
26 de outubro Tiroteio deixou dois mortos na Universidade Central do Arkansas (UCA). Segundo testemunhas, o atirador saiu do dormitório e disparou cinco vezes contra um grupo de pessoas. Logo depois, entrou em um carro e saiu do local em alta velocidade.
27 de julho Um homem armado com um fuzil deixou vários feridos, entre eles dois graves, ao disparar tiros numa igreja de Knoxville, no Tennessee, no sul dos EUA.
25 de junho Um funcionário atirou e matou quatro pessoas e, em seguida, se suicidou em uma fábrica de plástico em Kentucky. O tiroteio ocorreu depois que o funcionário da fábrica Atlantis Plastics discutiu com seu supervisor.
27 de março Um homem entrou em um hospital em Columbus, no Estado da Geórgia, onde sua mãe havia morrido, e atirou em três pessoas, matando duas, antes de a polícia disparar contra o atirador e deixá-lo ferido.
04 de março Seis pessoas morreram e três crianças ficaram feridas após um tiroteio em um subúrbio da cidade de Memphis, no Estado do Tennessee.
27 de fevereiro Um homem armado abriu fogo contra um grupo de crianças e adultos que aguardavam em um ponto de ônibus escolar no sul de Los Angeles e deixou oito feridos. O homem utilizou uma arma semiautomática e tinha como objetivo atacar uma pessoa específica no grupo. O homem fugiu após os disparos.
14 de fevereiro Houve um tiroteio no campus da Universidade Northern Illinois e diversas pessoas foram levadas do local de ambulância.
08 de fevereiro Ao menos cinco pessoas morreram depois que um homem armado invadiu a prefeitura de Kirkwood, cerca de 30 km de Saint Louis, no Estado americano do Missouri, durante uma reunião do Conselho Municipal.
07 de fevereiro Ao menos cinco pessoas morreram em Los Angeles, depois que um homem avisou à polícia que havia matado três parentes e abriu fogo contra policiais que atenderam a ocorrência. Entre os mortos, estão o atirador e um policial.
02 de fevereiro Cinco mulheres morreram após um tiroteio em uma loja de roupas femininas em um shopping center de Chicago. O tiroteio ocorreu na loja Lane Bryant, no shopping center Brookside Marketplace.
* 2007
16 de abril Armado, o jovem Seung-Hui Cho mata 32 pessoas e fere 15 na Virginia Tech University. Foi a maior chacina em uma universidade americana.
* 2006
14 de janeiro Um adolescente morre após ser atingido pela polícia enquanto apontava uma arma de brinquedo em uma escola em Penley, de Winter Springs, Flórida. O aluno trouxe uma arma de brinquedo para a escola e a usou contra colegas e professores, que pensavam ser um revólver de verdade. Ele foi morto por um policial quando apontou a arma para um funcionário da escola.
21 de março Um estudante de 16 anos mata cinco estudantes, um professor e um segurança em uma escola da Reserva Indígena de Minnesota's Red Lake. Ele também matou o avô e uma companheira em outro local da reserva.
24 de agosto Um homem armado invade uma escola primária de Essex, em Vermont (leste dos EUA), matando ao menos duas pessoas --entre elas, um professor-- e ferindo outras três.
27 de setembro Um atirador invade uma sala de aula de uma escola em Bailey, no Colorado, fazendo um grupo de seis alunas reféns. Quando a polícia invade o local, Duane Morrison, 53, mata uma das reféns --uma adolescente de 16 anos-- e, em seguida, se suicida. Segundo a polícia, todas as seis alunas foram molestadas e ao menos duas delas sofreram abusos sexuais.
29 de setembro Um estudante armado com uma pistola calibre 22 e um rifle invade uma escola rural do Condado de Richland, no Wisconsin e dispara várias vezes contra o diretor, ferindo-o gravemente antes de ser detido.
2 de outubro Charles Carl Roberts, um caminhoneiro, ataca uma pequena escola rural na Pensilvânia, atira em dez garotas, matando quatro, e depois se suicida.
* 2005
8 de novembro Um estudante de 14 anos é detido após matar a tiros um assistente de direção e ferir gravemente dois outros funcionários da administração de uma escola do Condado de Campbell, Tennessee (sul dos EUA).
22 de março Ao menos sete pessoas morrer e outras 14 ficam feridas em um ataque cometido por um estudante na escola secundária Lake High School de Red Lake, cidade rural localizada no norte do Estado de Minnesota, nos EUA. O atirador se matou logo após o ataque.
* 2003
24 de abril Um estudante da 8ª série mata a tiros hoje o diretor de sua escola no Estado da Pensilvânia (nordeste dos EUA) e depois se suicida. O tiroteio ocorreu no restaurante da escola, cerca de 15 minutos antes do início das aulas.
* 2002
Janeiro Um estudante expulso da faculdade de direito da Appalachian School of Law, em Grundy, no Estado da Virgínia, mata o reitor, um professor e um estudante, e fere outras três pessoas.
* 2001
30 de março Um estudante de 16 anos é morto a tiros no estacionamento de uma escola em Gary, no Estado de Indiana, por um ex-aluno do mesmo colégio.
* 1999
20 de abril Dois estudantes matam 12 colegas de escola e uma professora na escola Columbine, em Littleton (Colorado), antes de se suicidarem.
* 1998
Março Na escola Westside Middle School, em Jonesboro, no Estado de Arkansas, dois garotos, de 13 e 11 anos, ligam o alarme de incêndio e matam quatro estudantes e uma professora ao saírem da escola.
Maio Em Springfield, no Estado de Oregon, um estudante abre fogo na Thurston High School matando dois colegas e ferindo 22. Mais tarde, os pais do garoto são encontrados mortos dentro de casa.
http://www1.folha.uol.com.br
 
 -------------------------------------------------------------------------------------------

HAARP: o projeto militar dos EUA que pode ser uma arma geofísica

Futuro da comunicação ou arma de destruição em massa? Saiba o que envolve um dos projetos mais polêmicos do governo americano. 26 de Janeiro de 2011
Em 1993, começou a funcionar no Alasca (Estados Unidos) o HAARP, um projeto de estudos sobre a ionosfera terrestre. O HAARP, que significa “Programa de Investigação de Aurora Ativa de Alta Freqüência”, visa a compreender melhor o funcionamento das transmissões de ondas de rádio na faixa da ionosfera, parte superior da atmosfera.
Segundo relatos oficiais, o projeto tem como objetivo principal ampliar o conhecimento obtido até hoje, sobre as propriedades físicas e elétricas da ionosfera terrestre. Com isso, seria possível melhorar o funcionamento de vários sistemas de comunicação e navegação, tanto civis quanto militares (o que gera desconfiança em grande parte dos conhecedores do HAARP).
Para realizar estes estudos, as antenas de alta freqüência do HAARP enviam ondas para a ionosfera visando a aquecê-la. Assim são estudados os efeitos das mais diversas interações de temperaturas e condições de pressão.



Fonte da imagem: HAARP

Por que no Alasca?

A criação das instalações foi possível graças a uma parceria entre a Força Aérea Americana, A Marinha dos Estados Unidos e também da Universidade do Alasca. Esta última foi escolhida a dedo, graças à localização: a ionosfera sobre o Alasca é pouco estável, o que garante uma maior gama de condições para os estudos.
Outro fator que pendeu para que os pesquisadores escolhessem o Alasca é a ausência de grandes cidades nas proximidades. Assim, não há ruídos na captura de imagens e sinais, pois os sensores ficam localizados ao alto de algumas montanhas.  Também há informações de que este local sofreria o menor impacto ambiental entre as áreas candidatas a receber o HAARP.

Ionosfera: íons e mais íons

Esta faixa recebe este nome porque é bastante ionizada, ou seja, perde e ganha elétrons com facilidade, o que a deixa em constante carregamento elétrico. O grande agente ionizador da ionosfera é o sol, que irradia muita carga na direção da Terra, mas meteoritos e raios cósmicos também influenciam bastante na presença dos íons.


Fonte da imagem: Wikipédia


A densidade dos íons livres é variável e apresenta alterações de acordo com vários padrões temporais, hora do dia e estação do ano são os principais pontos de variação da ionosfera. Outro fenômeno interessante acontece a cada 11 anos, quando a densidade dos elétrons e a composição da ionosfera mudam drasticamente e acabam bloqueando qualquer comunicação em alta freqüência.

Reflexão ionosférica

Há freqüências de ondas que são, quase, completamente refletidas pela ionosfera quando aquecida pelas antenas HAARP. Os pesquisadores do HAARP pretendem provar que essa reflexão pode ser utilizada como um satélite para enviar informações entre localidades, facilitando as comunicações e também a navegação, melhorando os dispositivos GPS utilizados atualmente.
O problema é que ainda não se conhecem as reais propriedades da reflexão ionosférica. Além disso, há o fato de as propriedades da ionosfera se modificarem durante a noite, por exemplo, quando a altitude dela aumenta e as densidades ficam mais baixas. Essas variações tornam difícil uma padronização para o envio de ondas, independente do comprimento delas.

HAARP: um novo modo de estudo

Há várias formas de estudo das faixas da atmosfera terrestre. Para as camadas mais baixas, até mesmo balões podem ser utilizados para capturar dados sobre diferenças nas condições naturais. A camada de ozônio, por exemplo, é verificada com balões meteorológicos que realizam medições das taxas de radiação que ultrapassam pela atmosfera.



Fonte da imagem: HAARP

Por ficar muito mais acima, balões meteorológicos e satélites não podem ser utilizados para realizar medições e análises sobre a ionosfera. Por isso o HAARP é tão importante, já que utiliza a maneira mais eficiente de contatar o setor: antenas de emissão de ondas de freqüência altíssima.
resultados são utilizados para entender como o sol influencia no sinal de rádio em diversas faixas de freqüência. Utiliza-se também um “Aquecedor Ionosférico”, conhecido como “Instrumento de Investigação Ionosférica”, ele transmite freqüências altas para modificar a ionosfera e entender os processos produzidos em sua composição.



Fonte da imagem: HAARP

As antenas do Instrumento de Investigação emitem sinais para altitudes entre 100 e 350 Km. Outros aparelhos do mesmo projeto são responsáveis pela recepção dos sinais, interpretando-os e permitindo a criação de relatórios sobre a dinâmica do plasma ionosférico e também sobre a interação entre o planeta e o sol.

Aquecendo a ionosfera: riscos?

O HAARP não é o único aquecedor ionosférico do planeta. Há também um localizado na Noruega e outro na Rússia. Todos eles realizam o mesmo processo: utilizam antenas de alta freqüência para aquecer a ionosfera e criar uma aurora artificial.




Fonte da imagem: HAARP
Essa aurora artificial é muito aquecida, o que pode gerar elevação nas temperaturas em determinadas localidades do planeta. Em uma espécie de efeito estufa ionosférico, locais abaixo da ionosfera atingida pelas antenas do HAARP podem ter suas temperaturas elevadas em alguns graus centígrados.

O outro lado da moeda: as conspirações

Assim como boa parte de tudo o que é produzido sob tutela de alguma das forças armadas norte-americanas, o HAARP também gera uma série de desconfianças por parte das mentes mais conspiratórias. Ameaça global ou apenas melhorias nas tecnologias de comunicação? Confira as teorias de conspiração que envolvem este projeto.

Arma geofísica: a denúncia russa

E nem todas estas teorias surgem de movimentos independentes. A prova disso aconteceu em 2002, quando o parlamento russo apresentou ao então presidente Vladimir Putin documentos que afirmavam veementemente que os Estados Unidos estariam produzindo um novo aparelho, capaz de interferir em todo o planeta, a partir de pontos isolados.



Fonte da imagem: Kremlin

O relatório dizia que o HAARP seria uma nova transição na indústria bélica, que já passou pelas fases de armas brancas, armas de fogo, armas nucleares, armas biológicas e chegaria então ao patamar de armas geofísicas. Segundo estas teorias, seria possível controlar placas tectônicas, temperatura atmosférica e até mesmo o nível de radiação que passa pela camada de ozônio.
Todas estas possibilidades podem gerar uma série de problemas para as populações atingidas. Atingindo países inteiros, desastres naturais podem minar economias, dizimar concentrações populacionais e gerar instabilidade e insegurança em toda a Terra.

Terremoto no Haiti

Quais seriam os efeitos dos controles de freqüência sobre as placas tectônicas? Segundo a imprensa venezuelana a resposta é: terremoto. O jornal “Vive” afirma que teve acesso a documentos que comprovam a utilização do HAARP para manipular a geofísica caribenha e ocasionar os terremotos do Haiti, que causaram a morte de mais de 100 mil pessoas.



Caso esteja se perguntando os motivos para a escolha de um país tão pobre, as teorias conspiratórias também possuem a resposta para esta pergunta. Os Estados Unidos precisavam de um local para testar o potencial de sua nova arma. Os testes oceânicos não davam informações suficientes e atacar os inimigos no oriente médio seria suicídio comercial.
Afinal de contas, terremotos poderiam destruir poços de petróleo muito valiosos. Assim, o governo norte-americano viu no Haiti, um país já devastado, o perfeito alvo para seus testes. Sem potencial econômico e sem possuir desavenças com outros países, dificilmente haveria uma crise diplomática com a destruição do Haiti.

Bloqueio militar

Outra teoria bastante defendida diz que os Estados Unidos poderiam causar um completo bloqueio militar a todas as outras nações do mundo. Causando interferências nas ondas habituais, impedindo que qualquer frequência seja refletida pela atmosfera e até mesmo que dispositivos de localização possam ser utilizados.
Para isso, a defesa norte-americana só precisaria aquecer a ionosfera com seus aquecedores HAARP. Com a potencia correta, todo o planeta ficaria em uma completa escuridão geográfica. Então, apenas quem possui o controle do aquecedor ionosférico poderia ter acesso aos dados de localização e navegação de seus veículos militares.

Fonte da imagem: Marku 1988

Também se fala em mapeamentos de todo o planeta em pouco minutos, pois as ondas de frequências extremas poderiam criar relatórios completos de tudo o que existe na superfície terrestre. Elementos vivos ou não, tudo poderia ser rastreado pelas ondas do HAARP. Pelo menos é o que dizem as teorias conspiratórias.

Controle mental

Existem ondas de rádio em diversas frequências, por mais que não sintonizemos nossos rádios para captá-las, elas estão no ar. O som também é emitido em frequências e há amplitudes delas que os ouvidos humanos não são capazes de captar, mas isso não quer dizer que elas não existam. Somando estes dois pontos, temos mais uma teoria conspiratória.
Utilizando uma mescla de ondas de rádio com frequência sonora, os Estados Unidos poderiam manipular a mente coletiva para que algum ideal fosse defendido ou algum governo rival fosse atacado. Enviando as informações para toda a população em frequências que não poderiam ser captadas por aparelhos, não demoraria para que a “lavagem cerebral” estivesse concluída.




Há quem diga que este tipo de manipulação será utilizado em breve no Irã. O governo atual não é favorável às políticas norte-americanas, portanto seria vantajoso que o povo se rebelasse contra os seus líderes. Mensagens antigoverno seriam incutidas na mente do povo iraniano com o auxílio das antenas HAARP.
Nota sobre as teorias conspiratórias
É necessário lembrar que estas teorias são originadas em fontes que, muitas vezes, não possuem informações concretas sobre os assuntos tratados. Logo, a utilização delas neste artigo possui fins ilustrativos e não devem ser encaradas com verdades absolutas.

Pura ficção?

No desenho G.I. Joe: Resolute, o programa HAARP é capturado por vilões que desejam transformar o potencial do projeto em uma arma de destruição em massa. Além dos danos que citamos nas teorias conspiratórias, nesta história as antenas transformavam-se também em canhões de energia.
Enviando enormes quantidades de energia para a ionosfera, que refletia toda a energia, os vilões poderiam acabar com qualquer lugar do planeta, apenas mirando e concentrando o poder energético das antenas de frequências altíssimas localizadas no Alasca.
Quando se fala no mundo real, tudo o que se tem de concreto sobre o HAARP é que estudos são feitos constantemente sobre a ionosfera terrestre para que ela possa ser transformada em uma antena de transmissão de informações, beneficiando as comunicações e sistemas de navegação.



Fonte da imagem: HAARP
Mas será que é somente para isso que os investimentos bilionários do governo norte-americano estão sendo utilizados? Nunca foram revelados dados concretos sobre o dinheiro empregado no projeto, mas há especulações de que mais de 200 milhões de dólares sejam gastos por ano com as antenas do HAARP.
.....
O que você pensa sobre tudo isso? Será mesmo que as intenções do governo americano são baseadas nos estudos dos benefícios da ionosfera para as comunicações ou isso é apenas álibi para pesquisas sobre armas geofísicas? Deixe um comentário contando o que pensa sobre este poderoso projeto situado no Alasca.

PARA SABER MAIS SOBRE O CONTROLE DA MENTE VOU VOLTAR A REPOSTAR MINHA MATÉRIA QUE PUBLIQUEI EM MARÇO DE 2009
http://ufoactivity.blogspot.com.br/2009/03/historia-secreta-parte-1-de-3.html
http://ufoactivity.blogspot.com.br/2009/03/historia-secreta-de-controle-de-mente.html
http://ufoactivity.blogspot.com.br/2009/03/historia-secreta-de-controle-da-mente.html



RETOMANDO O CONCEITO ENCONTREI UM ARTIGO DO JORNAL HORA DO POVO DE 2003 SEGUE ABAIXO: 

AGORA VEJA NO FORMATO DIGITAL
MKULTRA: CIA mutila e assassina milhares atrás do ‘controle da mente’
Pevertidos e facistas do monopólio degeneram o Estado americano com o “programa de controle de mentes da CIA”, que foi o maior escândalo de uma história sanguinária de assassinatos, terrorismo e embustes
O “MKULTRA”, como era denominado o programa de controle de mentes da CIA (as iniciais MK são de “Mind Kontrol” – a palavra “controle”, em inglês “control”, grafada com “k”, como em alemão) foi, provavelmente, o maior escândalo de uma história sanguinária de assassinatos, terrorismo e embustes - em suma, fascismo sem peias. Esta é a primeira de uma série de reportagens sobre o assunto.
Em 1975, no meio das investigações sobre os crimes da CIA – abertas depois de Watergate e da descoberta de que a CIA perseguiu dentro dos EUA (o que, além de imundo, é ilegal) os opositores à guerra do Vietnã -, revelou-se que desde 1953 a CIA (e o Pentágono) havia submetido cidadãos dos EUA e de outros países a “experiências” com o objetivo declarado de adquirir o “segredo do controle da mente” das pessoas. Sem que soubessem, provavelmente milhares de pessoas foram expostas à radiação, drogadas – sobretudo com LSD, mas também com misturas de drogas muitas vezes mais letais -, ou torturadas em testes “comportamentais”, ou submetidas a uma “reprograma-ção” mental para criar robôs-humanos com o objetivo de assassinato. Muitos foram levados à loucura e, pelo que se pode inferir com certeza, muitos à morte. Soube-se que a CIA havia espalhado o LSD pelos EUA e outros países – antes de 1953 só havia no mundo um pequeno estoque, no laboratório suíço Sandoz.
Um dos projetos do MKU-LTRA, por exemplo, era o de criar assassinos “insuspeitos”, isto é, assassinos involuntários, inconscientes, robôs, para que não pudessem ser ligados à CIA. Um documento de 14 de fevereiro de 1954, relata uma experiência com duas “voluntárias”: sob hipnose, “a senhorita [nome apagado] foi instruída (tendo expressado medo de armas de fogo) a que usasse qualquer método a sua disposição para despertar a senhorita [apagado] (agora em um sono hipnótico profundo). Se isso falhasse, ela deveria pegar uma pistola próxima e atirar na senhorita [apagado] Ela foi instruída de que sua raiva deveria ser tão grande que não hesitaria em ‘matar’ se falhasse em acordá-la. A senhorita [apagado] levou a cabo estas sugestões e, em seguida, caiu em um profundo sono. Depois que apropriadas sugestões foram feitas, ambas acordaram. A senhorita   [apagado] expressou sua negação de que a seqüência acima descrita tivesse acontecido” (CIA Mori ID 190691. P. 1).
Quanto à grande maioria, que não era de voluntários, com bastante razão, Alan Scheflin, jurista que há anos exige na Justiça a liberação de todos os documentos do MKULTRA sem trechos apagados, diz que “uma pessoa que diz ter sido vítima de um programa de controle da mente do governo está geralmente sob risco de não ser acreditada e de ser considerada mentalmente insana. E, de fato, há muitos que são vítimas de alucinações neuróticas. Mas (....) nós sabemos que existem vítimas verdadeiras porque nós sabemos os experimentos a que eles foram submetidos” (Jim Bron-skill, “Playhouse of Horrors”, Hamilton Spectator, 13/09/1997).
 submundo nazista 
Por exemplo, Linda McDonald tinha 25 anos quando, devido a uma depressão pós-parto, problema relativamente comum, recorreu a um ambulatório num departamento de psiquiatria de uma universidade – a incensada McGill, de Montreal, Canadá. O ambulatório fazia parte de uma seção do MKULTRA, estabelecida naquele país por ordem do diretor da CIA, Allen Dulles, sob comando de um americano, Ewen Cameron, o mesmo que, como presidente da Associação Mundial de Psiquiatria, vivia acusando os soviéticos de “uso político da psiquiatria” e pedindo a expulsão da URSS da entidade.
Linda McDonald, evidentemente, não sabia que estava entrando nesse submundo nazista. Em seu depoimento, no processo que moveu contra a CIA quase 20 anos depois, ela relatou que foi isolada num quarto, drogada durante 86 dias, recebendo 102 eletrochoques, o que foi confirmado pelo prontuário de sua inter-nação. Como não havia nenhuma indicação médica para esse “tratamento” de uma depressão pós-parto, foi-lhe pespegado um falso diagnóstico de “esquizofrenia aguda”. Certamente, também não havia indicação alguma dessa estupidez sádica para esquizofrenia, mas essa doença era – como até hoje – muito menos conhecida que uma depressão e, mais do que hoje, muito mais ameaçadora. No processo que Linda moveu, a CIA pagou uma indenização para encerrá-lo.
Um dos torturadores de Linda, um certo Peter Roper, que tinha um diploma de medicina e até um doutorado em psiquiatria, afirmou que “o objetivo era apagar os padrões de pensamento e comportamento que eram prejudiciais ao paciente que estava doente, e substituí-los por padrões saudáveis de pensamento e comportamento”. O depoimento de Robert Loguey, outra vítima do mesmo laboratório secreto, é bastante esclarecedor sobre esses “padrões saudáveis”: durante uma infinidade de tempo, Robert foi colocado num quarto isolado em que, durante 23 horas por dia, era obrigado a ouvir uma gravação com uma única frase - “você matou a sua mãe”. Também nesse caso, a CIA pagou indenização para encerrar o processo.
Um paciente do New York Psychiatric Institute, Harold Blauer, morreu em 1953, depois de uma dose cavalar de um derivado sintético da mes-calina, um alucinógeno encontrado em alguns cogumelos venenosos. Era a quinta dose que era administrada a ele, que queixava-se pungentemente do sofrimento após as outras “injeções”, das quais desconhecia o conteúdo.
Blauer procurou a instituição por estar sofrendo, após seu divórcio, de depressão. O psiquiatra que o atendeu, Paul Hoch, era do MKULTRA – a CIA tinha um contrato com o Departamento de Higiene Mental de Nova Iorque, para que pacientes fossem usados pelo seu programa de controle de mentes. A alta de Blauer do hospital já esta prevista para algumas semanas depois. Em 1987, depois de um processo movido por sua família, o governo americano foi condenado como responsável por sua morte.
A um grupo de “voluntários” (não se sabe voluntários para quê) foram administradas altas doses de LSD durante 77 dias. Vários envolvidos receberam dinheiro para instalar “dispositivos” elétricos em pacientes.
Há muito mais nos depoimentos – e, verdadeiramente, coisas muito mais escabrosas. Roper diz, numa excelente reportagem do programa “Fifth Estate”, da TV canadense CBC, que o MKULTRA “deve ter sido estimulado pelos efeitos das (sic) tropas americanas da guerra na Coréia, que pareciam ter sido submetidas a lavagem cerebral”.
Todos os criminosos do MKULTRA disseram a mesma coisa em seus depoimentos. No entanto, não houve um único caso de soldado americano na agressão à Coréia onde se comprovasse qualquer coisa a esse respeito, e já faz 50 anos que os americanos foram derrotados. Jamais houve um único caso, aliás, onde os comunistas, democratas e patriotas tenham realizado qualquer “lavagem cerebral”. Tanto é verdade que, além da falta de qualquer caso, os arquivos da KGB estão abertos há mais de 10 anos e nada se achou.
O MKULTRA começou muito antes da agressão a Coréia, com outros nomes, assim como continuou depois do seu propalado encerramento, também com outros nomes – e ninguém pode ter certeza de que não continua até hoje, sobretudo considerando que essa obsessão por controlar as mentes das pessoas é uma parte inseparável e essencial do fascismo ianque, que não se contenta com a gigantesca lavagem cerebral que a sua mídia submeteu o povo norte-americano depois da II Guerra.
Em 1947 - três anos, portanto, antes da agressão ao povo coreano - já havia um programa de “controle de mentes”, o Projeto Chatter, na época sob direção da Marinha americana. A CIA não existia ainda, mas o fascismo nos EUA, já.
Essencialmente, era a mesma coisa do MKULTRA, apenas em dimensões mais modestas. Em 1950, meses antes da agressão, a própria CIA estabeleceu o Projeto Bluebird, com as mesmas finalidades. E, em agosto de 1951, começou o Projeto Artichoke. Não se tem, por sinal, a data precisa de encerramento desses “projetos”. Sabe-se, por exemplo, que o Artichoke ainda estava ativo em 1956, três anos depois do início do MKULTRA. Portanto, este último não foi propriamente uma unificação dos outros, assim como não foi uma substituição do MKNAOMI, um projeto de igual caráter iniciado em 1952, em conjunto com o exército americano. Há comprovação documental de que até 1970 o MKNAOMI funcionou, junto com o MKULTRA e outros programas (todas a informações que acabamos de mencionar encontram-se no mencionado relatório do Senado dos EUA, parte XVII, “Testing And Use Of Chemical And Biological Agents By The Intelligence Community”, págs. 387/389, 1975).
 TENTATIVA DE DESTRUIÇÃO 
O leitor deve ter notado que nos referimos bastante, até agora, às vítimas da seção do MKULTRA que a CIA estabeleceu no Canadá. O motivo é que a documentação a respeito dela é muito mais completa que a sobre os crimes perpetrados nos EUA. Tanto assim que existem 127 processos de vítimas – ou de famílias de vítimas, no casos dos mortos – do MKULTRA no Canadá, e quase nenhum nos EUA. Até agora a CIA somente foi obrigada a reconhecer duas mortes nos EUA: a de Blauer e a de Frank Olson, tema da nossa próxima reportagem.
O motivo foi a destruição dos arquivos, inclusive dos registros de nomes das vítimas. Muitas delas, possivelmente, nem registra-das foram – entre outros “truques”, como a CIA chamava isso, foi estabelecida uma rede de bordéis, onde LSD e outras drogas eram administradas aos freqüentadores, enquanto os voyeurs do MKULTRA “observavam” as reações através de um espelho duplo instalado na parede do quarto. A isso a CIA chamou “Operação Midnight Climax”. 
 Em 1975, diante da Comissão Church, o chefe do MKULTRA, um psicopata de nome Sydney Gottlieb, declarou que toda a documentação referente ao programa tinha sido destruída em 1973 por ordem verbal do então diretor geral da CIA, Richard Helms. Em seu depoimento, Helms confirmou, acrescentando que foi por sugestão de Gottlieb que havia dado a ordem. Helms e Gottlieb tinham formado uma dupla desde a década de 50. E 1973 foi o último ano dos dois no   serviço ativo da CIA.
Vinte anos antes, em 1953, o MKULTRA foi uma proposta do então adjunto do vice-diretor de Planos (isto é, de operações encobertas) da CIA, Richard Helms, ao diretor-geral, Allen Dulles. Helms propunha “pesquisas para desenvolver uma capacidade de uso encoberto de materiais biológicos e químicos. Essa área envolve a produção de várias condições psicológicas que poderiam apoiar operações clandestinas presentes e futuras” (Memorando de Helms a Dulles, 03/04/53, Relatório Church, pág. 390). A história sobre “lavagens cerebrais” feitas na Coréia é, nesse memorando, claramente um encobrimento. Ela só aparece depois de Helms destacar o “potencial ofensivo” da sua proposta. Dulles ficou entusiasmado: 10 dias depois ele a aprovou.
É pertinente notar que o mesmo Dulles, nomeado por Johnson para a Comissão Warren, seria o principal mentor do insustentável e absurdo relatório que tentou encobrir a conspiração que redundou no assassinato de Kennedy.
Kennedy havia nomeado um novo inspetor-geral e um novo diretor-geral, John McCone, para a CIA. Em 1963, meses antes do assassinato de Kennedy, um dos funcionários da inspetoria, John Vance, em uma auditoria na Divisão de Serviços Técnicos da CIA, descobriu a existência do MKULTRA. Nessa época, Helms tinha sido promovido a vice-diretor de Planos da CIA. O inspetor-geral, então, “falou ao vice-diretor de Planos, que concordou que o diretor-geral devia ser comunicado, indicando, entretanto, que não estava seguro se era necessário comunicar ao diretor-geral sobre este ponto” (Rel. Church, pág. 401). A frase é tortuosa, mas apenas porque é o retrato do caráter de Helms.
Dias depois, Hel-ms disse ao inspetor que havia comunicado a existência do MKULTRA ao novo diretor-geral, e que McCone “não indicou discordância e, portanto, os testes continuarão”. Os “testes” eram, principalmente, a administração de LSD a não-voluntários, vítimas inocentes “em situações sociais”, como disse Helms no memorando a Dulles. Oun seja, funcionários civis e militares em reuniões de trabalho, pacientes de hospitais psiquiátricos, prostitutas e seus clientes em bordéis, estudantes e professores nas universidades, prisioneiros e “membros do público em geral”.
O chefe direto dessa porcaria nazista, Sydney Gottlieb – o mesmo que foi enviado ao Congo na tentativa da CIA de envenenar Lumumba – “era conhecido por torturar as vítimas fechando-as em câmaras de privação sensorial, fazer gravações da terapia de pacientes psiquiátricos e depois obrigá-los a ouvir suas declarações mais auto-degradantes a todo volume, após serem drogados com LSD” (cf. o sintético e fundamentado artigo “MKULTRA”, na Wikpedia)
No entanto, o inspetor-geral desconfiou do comunicado de Helms. Preparou uma versão do seu relatório “somente para os seus olhos” para o diretor-geral – e McCone, depois de lê-lo, suspendeu o projeto. Isso foi em maio de 1963.
Em dezembro de 1963 – portanto, após a morte de Kennedy, ocorrida em novembro – Helms enviou ao diretor-geral um memorando propondo a reativação do MKULTRA. Depois, em junho de 1964, quando McCone havia sido substituído na direção da CIA por um general de nome Carter, o MKULTRA foi retomado, como relata o Relatório Church, cujos autores acreditaram que a administração escondida de LSD havia parado em 1963, apesar de Gottlieb e Helms continuarem a mandar no MKULTRA por mais 10 anos.
As investigações de 1975, pelas comissões dos senadores Frank Church e Edward Kennedy (que através da Subco-missão de Saúde, que presidia, investigou as experiências em seres humanos), devido à destruição dos documentos internos do MKULTRA, tiveram que se basear somente nos testemunhos, em alguns memorandos da direção da CIA, e, sobretudo, em dois relatórios – de 1957 e 1963 – de inspetores-gerais.
Dois anos depois, em 1977, o escritor John Marks, na época preparando seu livro sobre o MKULTRA (“The Manchurian Candi-date”) solicitou, invocando a lei, uma pesquisa nos arquivos da CIA e a conseqüente liberação dos documentos porventura achados sobre o programa. Nessa época, o governo havia mudado, e o presidente Carter travava uma luta surda, se bem que algo tímida, para colocar a CIA dentro de certos limites. Foram descobertas, então, seis caixas de documentos do MKULTRA no Retired Records Center - o arquivo morto da CIA em Washington. Estavam numa seção do arquivo, a de Orçamento, onde não foram procuradas nem pelos destruidores - em 1973 -, nem pelos pesquisadores da Comissão Church, em 1975.
Iniciando a investigação dos novos achados, em 1977, o senador Kennedy assim os resumiu:
“Dois anos atrás, a Subcomis-são de Saúde do Senado ouviu depoimentos dados com frieza sobre as experiências da CIA em seres humanos. O Adjunto do Diretor da CIA revelou que cerca de 30 universidades e instituições foram envolvidas em um programa ‘extensivo de testes e experiências’ que incluíam testes de drogas escondidos em cidadãos ‘de todos os níveis sociais, altos e baixos, americanos natos e estrangeiros’ [citação de um memorando de Helms a Dulles, de 1953]. Vários desses testes envolviam a administração de LSD ‘em situações sociais, escondido dos indivíduos’. (....) A Agência admitiu que esses testes faziam pouco sentido científico. Os agentes que davam monitoramento não eram observadores científicos qualificados. Os indivíduos que eram alvo dos testes raramente estavam acessíveis além das primeiras horas do teste. Em numerosos casos, o indivíduo alvo do teste ficou doente por horas ou dias, e um efetivo acompanhamento era impossível. Outras experiências foram igualmente ofensivas. Por exemplo, viciados em heroína foram recrutados para participar de experiências com LSD em troca de um prêmio – heroína. Talvez o mais perturbador foi o fato de que a extensão das experiências com seres humanos era desconhecida. Os registros de todas essas atividades foram destruídos em janeiro de 1973, por orientação do então diretor da CIA, Richard Helms. E nenhum – nem um único indivíduo – pôde ser achado que lembrasse dos detalhes, nem o diretor da CIA que ordenou a destruição dos documentos, nem o funcionário responsável pelo programa, nem algum de seus associados. Nós acreditávamos que os registros, incompletos como eram, eram tão completos como podiam ser. (....) Esses novos registros foram descobertos pela agência em março. Sua existência não foi conhecida do Congresso até julho. Os registros revelam uma decididamente mais ampla série de experiências do que anteriormente pensávamos. Oitenta e seis universidades ou instituições estavam envolvidas. Novos casos de comportamento anti-ético foram revelados” (Relatório da audiência conjunta do Comissão de Inteligência e da Subcomissão de Saúde e Pesquisa Científica do Senado dos EUA, 03/08/1977, págs. 6/8) .
 manual de truques 
Em suma, somente nessas seis caixas, havia referência a 149 “projetos”. Havia, inclusive, um “manual de truques” para orientar os que administravam LSD e outras drogas a pessoas inocentes. Como disse um dos denunciadores do MKULTRA, Mark Zepezauer, autor de um livro sobre a CIA (“The CIA’s Greatest Hits”), apesar disso ser somente uma pequena parte em relação ao que foi destruído, “a história que sobreviveu já é demasiado sórdida”.
PARA ENTENDER MAIS VAMOS LER MAIS UMA MATÉRIA DO CONTROLE DA MENTE:



MONTAUK: CONEXÃO ALIENÍGENA
por Stewart Swerdlow
 
Permissão cedida para publicação na AMALUZ por Peter Moon e Janet Swerdlow da: Sky Books - Box 769 - Westbury, New York 11590


O IDIOMA DO HIPERESPAÇO


A estrada que me conduziu para onde estou hoje foi longa e difícil. Quem me dera tivesse havido um modo mais fácil, mas obviamente era intenção de minha alma aprender lições difíceis e não convencionais. Minhas experiências me deixaram duas grandes perguntas. Primeira, o que faço com essas experiências agora? E, que benefício advém de se passar por todos esses sofrimentos?

Sei agora que meu propósito é alcançar e ajudar a gente deste mundo, e talvez de além, prevenir e/ou curar suas experiências de vida traumáticas. Minha meta é eliminar a necessidade de médicos, psiquiatras e todos os tipos de terapeutas em geral, ensinando todos a se curar por meio da análise de seus próprios padrões mentais. Ao determinar onde e por que seus processos de pensamento tiveram início, vocês podem aprender a suprimir ou desfazer os efeitos negativos que atraem suas experiências negativas.
Não se trata de um processo fácil apenas vocês podem fazer isto por si mesmos. Se alguém tentar impor uma cura ou correção a vocês, e vocês não corrigirem o padrão mental por trás do que desejam curar, então a condição acabará voltando. Quando isso acontece, às vezes é pior do que era antes, pois vocês devem estar mais motivados a iniciar uma cura e correção finais. Os impulsos negativos promovem medidas corretivas.

Agora, o trabalho de minha vida é motivar as pessoas à auto-cura. Com esta finalidade, estou criando um manual que permitirá às pessoas ajudar-se sempre que necessário. Incluirei informações sobre valores numéricos e símbolos, como receber e traduzir frases do hiperespaço, análise de sonhos, análise de padrão mental, campo áurico, técnicas de cura, modelos radiônicos, viagem no tempo, leitura de ADN, Hierarquia Angélica, comunicação com os que se foram, viagens astrais e pelo hiperespaço, bem como um dicionário hiperespacial. Todas estas técnicas de cura físicas e mentais vão se concentrar na eliminação de padrões mentais negativos que os impedem de ligar-se a seu verdadeiro eu e de com ele se comunica.

A Mente de Deus não pensa segundo padrões inferiores, tais como palavras ou linguagem escrita. Em vez disso, Ela pensa em termos de cor, tom e arquétipo, criando a Tríade de comunicação e entendimento. Cósmica, interdimensional e interuniversal, eis a base de toda criação. Os que compreendem o idioma do hiperespaço conseguem se comunicar com êxito com qualquer mente, em qualquer lugar, em qualquer tempo. O idioma do hiperespaço ultrapassa os confins do espaço e do tempo. Compreender a terapia da cor, que é parte do idioma do hiperespaço, constitui um aspecto fundamental do aprendizado do controle de seus próprios padrões mentais.

Imaginem adormecer em sua própria cama ou cadeira favorita, então de repente se encontrar voando a velocidades incríveis sobre uma terra estranha. O céu tem uma cor diferente e múltiplos sóis. À medida que a cena se desenrola, vocês passam a ver símbolos que parecem formas geométricas e hieróglifos esquisitos. Brilhando em várias cores, eles se dispõem em seqüências estranhas. Informações pulsam por todo seu ser, possivelmente agitando e confundindo vocês. Por um breve momento, vocês experimentam um saber que a tudo permeia. Tudo faz sentido; vocês sentem alegria absoluta. Abruptamente, com um solavanco vocês despertam com uma sensação de aturdimento, esquecendo instantaneamente todas as grandes informações que sabiam há apenas alguns momentos. Sua mandíbula, pescoço, costas e cabeça estão tensos — como se vocês tivessem passado por uma situação extremamente estressante.

Tiveram um pesadelo? Foi por causa do cachorro quente com pimenta que comeram no jantar? Estão ficando loucos? A resposta a todas essas perguntas é "Não." Vocês experimentaram uma viagem ao plano do hiperespaço — onde o tempo ou espaço não existem e todos os acontecimentos se dão simultaneamente.

Este nível de realidade imediatamente demonstra os padrões de pensamento de sua consciência. Assumindo a forma de formas geométricas coloridas, esses padrões de pensamento são chamados arquétipos. Arquétipos são a representação visual do padrão mental da pessoa. Seja o que for que a pessoa pensar, sejam quais forem as idéias, emoções ou convicções que compõem essa pessoa, tudo é imediatamente mostrado nessa forma arquetípica colorida. A razão da alegria e do "saber" instantâneo é que agora vocês sabem "ler" por si mesmos quem e o que vocês são! Vocês imediatamente esquecem essas informações ao voltar ao plano físico porque essas informações não estão pronta ou facilmente disponíveis a seu cérebro, treinado apenas para decifrar as partes físicas da vida na Terra.

A realidade física subjacente são camadas de várias energias que manipulam as estruturas atômicas de toda a existência. Essas energias são controlados pela MENTE. Explicando melhor, tudo o que for pensado leva as energias a criarem esse pensamento. Os humanos fazem isso automaticamente como pessoas, famílias, grupos raciais, nacionalidades e como gênero humano. Obviamente, quanto maior for o grupo pensando da mesma maneira, mais poderosa e rápida a manifestação no plano da Terra. Eis como se desenvolvem os destinos das pessoas e nações.
O símbolo do padrão mental de arquétipos e cores correspondentes é a mais pura forma de idioma e comunicação existente, dando-se na freqüência de Deus, comum a todos os seres em todos os lugares. Usando o idioma do hiperespaço, podemos entender qualquer criatura, em qualquer lugar, e com ela nos comunicar. À medida que uma consciência desce em termos desta pureza e entra na densidade de realidades físicas, esta forma pura é maculada. As cores e arquétipos se traduzem, por meio do cérebro, em pictogramas na mente individual ou de grupo. A seguir, eles se transformam em linguagem oral, então linguagem escrita e, finalmente, nas sociedades muito primitivas, em gesto físico.

Freqüentemente, o estado de sonho contém arquétipos que não podem ser comunicados das mentes super ou subconscientes à mente consciente, principalmente porque a mente consciente está sujeita a regras sociais que impedem que se dê atenção ao não convencional. Considera-se que as pessoas que "vêem" símbolos ou visões estão no limite do "normal." Assim, símbolos de sonhos são extremamente importantes. Manter um diário de sonhos com data para depois analisá-los permite que uma mensagem ou informação importante torne-se evidente depois que vocês aprenderem a interpretar esses símbolos. Uma das razões do manual que estou escrevendo é ajudá-los a interpretar seus símbolos de sonho.

Arquétipos de padrão mental têm um importante relação com o corpo físico. As energias dos pensamentos por trás dos arquétipos criam as seqüências de ADN que desenvolvem o corpo. Portanto, quando pensam, vocês são! Os padrões mentais criam "frases" de arquétipos em grupos de quatro. Quatro proteínas compõem o ADN de qualquer pessoa. Cada proteína é a tradução de uma seqüência de arquétipo para uma seqüência de ADN. As pessoas que entendem os arquétipos e suas seqüências podem literalmente se modificar por completo manipulando os arquétipos e seqüências com pensamento/cor. Certos códigos de cor/arquétipo podem desvendar códigos de ADN específicos. Isto também será tratado no manual.

Neste processo é importante a orientação para impedir a ativação descontrolada da Kundalini ou a abertura de grandes seqüências de ADN antes de seu respectivo tempo. Sem orientação, a pessoa pode ficar louca, possessa, doente em estado terminal, com tendências suicidas, ou viciada em substâncias químicas. O treinamento indevido representa uma situação perigosa, sendo ilegal em termos cósmicos. Seria comparável a dar as chaves de um carro esporte sofisticado a uma criança e a seguir lhe dizer para guiá-lo — simplesmente não se pode fazer isso! Na realidade física, seu corpo é seu veículo; sua mente, o motorista. Apenas um motorista sensato, treinado, racional deveria ter permissão conduzir seu veículo pessoal.

Qualquer pessoa que tiver visto círculos em plantações viu arquétipos. A maioria dos círculos em plantações são complicados, compostos de vários arquétipos, ou símbolos universais, que devem ser dissecados para serem entendidos. Cada círculo em plantação é uma frase ou, às vezes, até mesmo um parágrafo. Quem os fez e o que eles significam será discutido em meu próximo livro. Minha intenção é que meu próximo livro ajude todos os leitores em seu empenho para se tornarem seres perspicazes, cuidadosos e sábios.
 

MAIS INFORMAÇÕES SOBRE O PROJETO MONTAUK - EXPERIMENTOS NO TEMPO — VOCÊS PODEM ENCONTRÁ-LAS NA REVISTA AMALUZ Nº 5 — PG.73 E Nº 6—PG. 35, COM OS SEGUINTES TÍTULOS:
 
TRECHOS DE MONTAUK PROJECT: EXPERIMENTS IN TIME E COMENTÁRIOS SOBRE O PROJETO MONTAUK.

O PROJETO MONTAUK É UM PROJETO DO GOVERNO AMERICANO QUE CONSEGUIU CURVAR O TEMPO PARA VIAGEM AO PASSADO, FUTURO E PARA QUALQUER PARTE DO ESPAÇO.
 
NOTA: Montauk: The Alien Connection

Copyright © 1998 Expansions Publishing Company

Primeira Edição, janeiro de 1998
 
Impresso e encadernado nos Estados Unidos da América.

Todos os direitos reservados. Nenhuma parte deste livro poderá ser reproduzida de qualquer forma ou por qualquer meio eletrônico ou mecânico, inclusive sistemas de armazenamento e recuperação de informações sem autorização escrita do editor, salvo por críticos, que poderão citar passagens breves numa resenha.

EXONERAÇÃO DE RESPONSABILIDADE: Nenhuma das afirmações contidas neste livro deverá ser interpretada como ataque ao governo dos Estados Unidos ou seus representantes legais devidamente nomeados. O editor e o autor acreditam no governo dos Estados Unidos, conforme previsto na Constituição Norte-americana, e o apóiam plenamente. Observamos, ademais, que como este livro poderá ser considerado polêmico por algumas pessoas, o editor e o autor desejam declarar sua convicção de que todas as pessoas são criadas com direitos iguais e todas as nações, raças e religiões provêem de uma fonte comum que compreende a fraternidade de todas as criaturas. Não se tenciona dirigir nenhuma ofensa contra qualquer raça, religião ou etnia nem inadvertidamente menosprezá-las.

Divulga – Esdras Martins – esdr@dglnet.com.br
INFINITE TV – Canal UFO  - http://www.infinitetv.com.br

--------------------------------------------------------------------------------------------------------
Projeto HAARP, Uma Expansão do Projeto Montauk


Preston Nichols e Peter Moon
Excerto do capítulo "Guerra nas Estrelas e Transmissões de Controle da Mente", em Encontro nas Plêiades, uma Visão Interior dos UFOs
Transmissões de controle da mente e outros fenômenos encaixam-se no assunto de implantes, embora eles sejam de uma natureza completamente diferente. Eu ilustrarei como eles funcionam, com uma investigação de um fato real.
No verão de 1995, recebi uma chamada telefônica de uma mulher que identificarei por Susan DaRe. Ela achava que ela era alvo de transmissões de controle da mente, transmissões de enfermidades e alguma coisa mais. Sua história interessou-me tanto que decidi visitá-la e fazer um estudo eletromagnético. Eu estava indo a uma hamfest (onde peças de radioamador são compradas e vendidas) em Virgínia, e não era muito fora do meu caminho parar em sua casa, do outro lado do Forte Meade, uma instalação militar em Maryland. Quando cheguei, saímos para jantar com seu amigo Bruce, e ela começou a contar-me a história de sua vida.
Susan nasceu em 1951, e foi adotada por uma família alemã que tinha vindo para a América após a Segunda Guerra Mundial, e que tinha se envolvido com Adolf Hitler e o Terceiro Reich. Sua família era proprietária de uma madeireira no Meio Oeste, e freqüentemente bancavam os anfitriões de pessoas da inteligência, de equipes da CIA e da NSA. Quando jovem, ela teve uma espécie de iniciação mágica. Susan foi subseqüentemente implantada, e cresceu. Hoje em dia, ela afirma possuir tremendas habilidades psíquicas.
Após adulta, Susan procurou pelo seu pai natural, e descobriu que ele servira por muito tempo no Egito, e tinha uma posição bastante elevada na inteligência militar dos EUA. Isto foi tudo que ela pôde descobrir, exceto pelo fato de que ele queria rejeitar qualquer ligação com ela.
Depois de contar-me a sua história, ela disse que ainda estava sendo visada, e que sua família de adoção ainda estava ligada à comunidade de inteligência (CIA). Susan acredita fortemente na teoria comum de que as raízes da CIA tiveram início com a SS nazista. Ela falou que a razão de estar sendo visada era o negócio da madeireira. Quando o seu pai de adoção morreu, ela iria receber a metade, e a outra metade iria para o seu irmão de adoção, de um total avaliado em quarenta milhões de dólares. Susan acredita que a comunidade de inteligência, trabalhando em conluio com seu tio "mago negro", queria livrar-se dela, de modo que o filho natural pudesse receber toda a herança.
Enquanto nos dirigíamos para sua casa, após o jantar, comecei a fazer um estudo eletromagnético. Sintonizei primeiro em um sinal de 1080 MHz, que estivera estudando por um mês. Percebi que quando ficava perto do seu carro, o sinal aparecia. Quando ela ficava distante, o sinal desaparecia. Era como se o transmissor daquele sinal estivesse no carro dela. Eu sabia que este não era o caso, porque estivera captando o mesmo sinal por toda a [rodovia] Noroeste, e não era possível que ele estivesse sendo transmitido do carro. Mas não havia dúvida que o sinal estava sendo dirigido a Susan.
Tão logo chegamos à casa dela, comecei uma investigação eletromagnética no local. Imediatamente encontrei o sinal de 1080 MHz, e também encontrei o sinal de 435 MHz que rotineiramente emana das vizinhanças de Montauk*. Encontrei também uma forte transmissão em ELF (freqüência extra-baixa), mais baixa do que meu equipamento podia captar (cerca de 50 a 400 KHz). Gravei em vídeo-tape as imagens dos diferentes sinais.
O sinal de Montauk em 435 MHz era particularmente interessante, porque sempre que o captava, ele se separava. Se as partes fossem postas juntas, poderiam formar um sinal igual ao que eu estava vendo em Maryland. Enquanto Susan se movia para dentro e para fora de sua casa, eu percebia mudanças sutis no visor padrão, para o sinal de 435 MHz. Ela andava à volta, e onde quer que se posicionasse, uma mudança sutil se mostraria no visor e ficava perceptível também nos receptores. A seguir, voltei a sintonizar o sinal de 1080 MHz, e tentei a mesma coisa. Percebi que se ela se sentasse no carro, o sinal de 1080 MHz enfraquecia. Se ela se movesse, ele voltava.
Susan mostrou-me então um relato do Dr. Peter Moscow. Ele é o presidente da Associação de Psicotrônica dos EUA, e um excelente pesquisador bioeletro-magnético. Ele se envolveu com os trabalhos de Wilhelm Reich e radiônica, e eu já estava familiarizado com ele. Seu relato indicava que ela tinha tido danos cerebrais, e estava exposta a campos eletromagnéticos aberrantes, tais como ELF e VLF [freqüência muito baixa]. Eu tinha, definitivamente, captado os campos eletromagnéticos aberrantes (os sinais em 435 MHz e 1080 MHz).
Quando Susan fez uma tomografia, houve seções de seu cérebro onde o revestimento de mielina estava desaparecendo. Sabe-se que isto é o início da esclerose múltipla. Ela acredita que esta doença é o resultado das transmissões de radiodifusão em sua direção. Acredito nesta possibilidade, e explicarei o por quê. Primeiro, diremos o que a rede de 435 MHz a 1080 MHz realmente faz.
Estes sinais começam como transmissão de partículas, do mesmo modo que descrevi em Pirâmides de Montauk. A idéia do acelerador de partículas é aumentar continuamente a velocidade de uma unidade de energia eletromagnética (um átomo de nitrogênio é o melhor para interagir com a atmosfera). Como as partículas se aceleram à velocidade da luz, vastas quantidades de energia são liberadas.
Há cerca de 24 a 36 destes locais em volta do planeta. Cada um deles visa uma série de pequenos satélites, que são referidos como satélites popcorn [pipoca]. Tudo isto é parte da Iniciativa de Defesa Estratégica (mais comumente conhecido como SDI, ou Guerra nas Estrelas). Estes feixes direcionais saltam por toda uma rede de satélites circulando o planeta. Alguns dos satélites multiplicam os feixes, enquanto que alguns deles combinam os raios. Controlando o posicionamento e a orientação dos satélites, os militares podem dirigir um feixe combinado para qualquer lugar no planeta. Eles podem também desfocá-lo, para que se torne essencialmente uma onda de partículas.
Há um enigma muito interessante que tenho observado com relação a este sistema de satélites. As transmissões em 1080 MHz são altas o bastante em freqüência para, se as antenas empregadas para detectá-las forem altamente direcionais, eu deveria localizar áreas no céu onde os satélites deveriam estar em determinado momento. O enigma é que não encontro nada para onde aponto a antena, apenas um sinal de energia uniforme. Colocando esta informação ao lado do que o Dr. Nicholas Begich vem dizendo, isto levou a algumas conclusões muito interessantes.
O Dr. Begich tem publicado informação a respeito de um projeto conhecido como HAARP ou High-frequency Active Aurora Research Project . Isto é conhecido comumente como um projeto de controle do clima, mas o Dr. Begich tem captado e ouvido os sinais de 435 MHz conectados à HAARP, e indica que uma função de controle da mente está sendo empregada.
Em adição à pesquisa do Dr. Begich, há correntemente uma teoria sendo discutida com relação a uma função não linear que irá transformar uma freqüência em uma outra. Acho que é exatamente o que está acontecendo no caso do HAARP. Sinais de alta freqüência desenvolvidos através da HAARP são projetados para ionizar a alta atmosfera, a qual consiste primariamente de nitrogênio. O nitrogênio ionizado (N2), então, age como um translador, o qual literalmente converte a transmissão de partículas de 435 MHz em outra de 1080 MHz. Isto é bastante engenhoso, porque torna os satélites desnecessários. Acredito que este deve ser um dos mais recentes desenvolvimentos da tecnologia de Guerra nas Estrelas.
Comecei a imaginar isto quando encontrei pela primeira vez a freqüência de 1080 MHz, e pedi a Duncan Cameron para fazer uma leitura puramente psíquica dela. Depois de ouvir o sinal, Duncan disse que ele era aproximadamente 2,7 vezes o sinal de 435 MHz. Não está muito longe disso, em absoluto. Se considerarmos que 400 a 450 MHz é a janela para a consciência humana, você pode dividir 1080 MHz por 2,7 e chegará a 400. A relação de 2,7 é direta.
Quando pesquisei esta informação com Dan, meu amigo físico nuclear, ele ficou excitado, porque 2,77 é a relação do nitrogênio para o ar com relação à atmosfera da Terra. Em termos científicos, fica assim:
M(ATM)/MN2 = 2.77
Em outras palavras, se você divide a massa da atmosfera pela massa do nitrogênio, chegará a 2,77. Esta informação era o indício inicial de que havia uma relação entre o nitrogênio e as transmissões em 435 MHz. Baseado em sua experiência, Dan concluiu que nós estávamos muito provavelmente tratando com um raio de partículas de nitrogênio. A informação acima sobre HAARP finalmente explicou o que estava acontecendo.
Dan também falou sobre um efeito colateral que é produzido quando as partículas aniquilam-se umas às outras. Ele falou que quando o nitrogênio e o antinitrogênio colidem, o elemento xenônio é liberado. Um par de testes radiônicos feito nas pessoas atingidas pelo sinal de 1080 MHz indicou que elas tinham um algo grau de nitrogênio e xenônio em seus sistemas. Os sintomas de Susan eram a narcose pelo nitrogênio, mais comumente conhecido como bends [euforia semelhante à resultante da bebedeira, causada por descompressão muito rápida após um mergulho muito profundo no mar].
Tudo isto se tornou ainda mais interessante, porque a leitura psíquica de Dan mostrou que o sistema de raios de partículas também pode ser usado na engenharia genética. Pesquisei então esta informação com um geneticista amigo meu, que achou isto notável, porque a subharmônica da hélice de DNA é de 1100 MHz. Ao mesmo tempo, uma outra pessoa ressaltou um livro de um canadense, que indicou que se alguém usasse uma certa freqüência com uma lâmpada xenônio, criava-se um pensamento-forma que era saudável e regenerador.
A teoria aqui é que alguém pode literalmente fazer engenharia genética usando a freqüência de 1100 MHz para entrar em ressonância com o DNA, e com isso abri-lo e fechá-lo. A aniquilação de partículas (em um acelerador de partículas) libera um padrão que controla o modo como o DNA irá rearranjar a si mesmo. O efeito do gás xenônio poderia ser usado para regenerar o novo DNA. Pesquisei isto com Al Bielek, que disse que ele tinha um amigo cientista que tinha lido anteriormente todo o projeto da rede completa de satélites. Este cientista disse-lhe que às pessoas na empresa que trabalhava que, se este sistema fosse lançado na população como um todo, isto poderia destruir geneticamente a raça humana.
Anteriormente, aqui (neste artigo) mencionei o dano no revestimento de mielina, em Susan DaRe. Este poderia ser o efeito genético degenerativo do qual o amigo de Al avisou. Pode ser a razão porque temos visto a MS [Multiple sclerosis – esclerose múltipla] aparecer por todo o país. Tem sido relatado um incremento pelo menos centuplicado da MS nos últimos cinco anos.
Tudo isto significa que o sistema inteiro de Guerra nas Estrelas poderia ser usado para atacar nossos sistemas imunológicos e o bem-estar mental. Já sabemos que 400 a 450 MHz é a freqüência para a janela da consciência humana; e 435 MHz é a freqüência específica relacionada com a aparição de UFOs. Ela também provém da Via Láctea, e pensa-se que é a freqüência por trás de nossa realidade. O sistema Guerra nas Estrelas, ou pelo menos parte dele, transmite um sinal entre 1000 e 1200 MHz que é derivado de um raio de partículas baseado no nitrogênio. Este sinal é uma multiplicação de 435 MHz, a freqüência por trás de nossa realidade.
Os sinais que captei durante esta pesquisa eletromagnética estavam entre 1080 MHz (2,7 vezes 400) e 1124 MHz (2,7 vezes 416 MHz), e supõe-se que a freqüência de 1100 MHz seja a janela para o DNA humano. Não pude conseguir que o geneticista a ligasse a uma freqüência exata, então isto é uma aproximação. Ele disse que era entre 1000 a 1200 MHz. Uma maior corroboração desta teoria é fácil de reconhecer, se você percebe que a estrutura molecular de proteínas contém nitrogênio como ingrediente primário. Isto faz com que a relação nitrogênio/ar comece a ter mais sentido. O aparecimento do nitrogênio em proteínas não contradiz o fato de a vida ser baseada no carbono. A vida evolui para formas de ordem mais elevada, e esta desenvolve proteínas, que consistem de nitrogênio.
A programação genética sugere alguma coisa muito além do espectro de guerra biológica: sugere também a possibilidade de misturar ou rearranjar o nosso DNA. Este tipo de pensamento prevalece em certos dogmas da New Age, os quais indicam que a raça humana está passando por uma mudança transdimensional. Que anjos aparecerão para rearranjar nosso corpo de luz, de forma que você possa ressoar em uma oitava mais alta. Isto pode ser verdade, mas se anjos ou outros seres dimensionais estão fazendo isto, isto é muito teórico e sobrenatural. Se o governo secreto ou o complexo industrial-militar possui esta capacidade, nós estamos lidando com um cenário inegavelmente real. Há muitas possibilidades.
O que penso sobre isto é que as elites que detêm o poder neste planeta estão receosas de desistir disso tudo. Seu interesse em controlar o nosso DNA estaria em evitar uma migração para outra dimensão. Daí a razão de eles estarem pesquisando esta tecnologia.
Uma segunda possibilidade é que eles estão nos ajudando, em nosso próprio benefício. Este seria um pensamento esperançoso, para dizer o mínimo.
Uma outra possibilidade é que todo o projeto esteja sendo orquestrado para uma vasta experiência. Ele poderia ser para o melhor ou pior do contínuo [espaço]. Pode ser que os maus tenham planos, seja para entrar ou no mínimo subjugar toda a raça humana. Ao mesmo tempo, os bons, ou mestres ascenços, estão deixando-os agir até que possam pará-los no último minuto, e levar-nos todos para o próximo nível. Alguma variação deste tema também é possível. Há muitos diferentes mestres fantoches que poderiam estar envolvidos.
Há uma ilha infame na bifurcação norte de Long Island, que é chamada Plum Island [Ilha das Ameixas]. É um território proibido para a mídia ou para qualquer um, e há muito tempo que se pensa que é um centro de pesquisas bacteriológicas, que inclui guerra biológica. Isto foi verdade por muitos anos, mas eu sei que hoje eles estão preocupados com pesquisas genéticas humanas, baseadas em aceleradores de partículas. Estes aceleradores não são secretos, e podem ser vistos do ar.
Nenhuma destas informações é incluida com intenção de assustar alguém. É de nosso máximo interesse saber de tudo que possa ser usado contra nós. Não significa que serão, mas saber sobre isto constitui a primeira linha de defesa.


* 435 MHz refere-se a quaisquer frequências dentro da faixa de 400 a 500 MHz, e 1080 MHz refere-se a aquelas na faixa de 1000 a 1200 MHz. Os técnicos deverão notar que tomei um cuidado extra para assegurar que não estava captando a transmissão do GPS (Global Positioning System), que transmite em 1236 MHz e é usado por navios e aviões para o propósito de navegação.

Armas Invisíveis
 
As torres de microondas como essa da base do Exército Aéreo dos EUA em Gunter, Alasca, são utilizadas para a transmissão de informações a grandes distâncias. Contudo, as microondas podem ser perigosas e muitas pessoas como Antony e Doreen Verney (abaixo no dia de seu casamento), afirmam que estiveram envolvidos em testes secretos para determinar possíveis aplicações militares.
 

Será que armas eletromagnéticas estaria sendo testadas sobre uma população desprevenida? David Guyatt investigas as queixas de um homem que procurava a resposta.
Antony Verney esperava por sua aposentadoria com grande espectativa. Ele e sua esposa Doreen tinham comprado uma casa de campo Kent, Grã-Bretanha. Porém, os Verney, as coisas não estavam indo como haviam planejado. O casal não contara com a possibilidade de tornarem-se cobaias de uma terrível experiência com armas eletromagnéticas, realizadas pelo governo britânico.
No verão de 1983, o casal mudou-se para a casa de seus sonhos. Construída na época da batalha de Waterloo, estava situada em um terreno isolado rodeado por bosques, perto de Biddenden. Alguns meses depois de sua mudança definitiva começaram a ouvir estranhos sons que invadiam a casa. Em outubro, o volume aumentou e, segundo Verney, "parecia que surgia do solo". Durante as quatro noites seguintes o casal quase não podia dormir.
No final de três semanas, o bombardeio sonoro tinha aumentado e parecia envolver toda a casa. Nesse momento, os zumbido vinha acompanhado por fortes vibrações. Durante a noite o arvoredo que rodeava a casa era iluminado por estranhas luzes rosadas e amarelas que produziam sombras misteriosas nas árvores do bosque.   
NEGAÇÃO DA POLÍCIA
Decididos a localizar a origem dos ruídos os Verney vigiaram o exterior da casa na noite de 24 de novembro. Sua tentativa, porém, não deu em nada, pois os sons vinham de várias direções. Contudo, durante sua vigília encontraram uma patrulha policial próxima de sua casa. Era uma hora da manhã e os agentes ouviram claramente os ruídos. Contudo, quando no dia seguinte Verney apresentou queixas na delegacia e disseram-lhe "que isso não era um assunto de polícia" e acoselharam-no a entrar em contato com o Departamento de Saúde Ambiental.
Em suas repetidas tentativas de expor o problema à prefeitura, Verney nunca conseguiu obter uma resposta. Frustrado e desestimulado, entrou em contato com um engenheiro de acústica de uma firma em Maidstone. Ao chegar na casa de campo, naquela mesma noite, o engenheiro conseguiu leituras muito fortes das vibrações. Preocupado, Verney alertou o Departamento de Saúde Ambiental sobre o problema e esse novamente não quis envolver-se . Naquele momento, declarou que "a vida naquela casa tinha se tornado insuportável".
Enquanto isso, um vizinho falara a Verney sobre a existência de um estranho edifício contruído próximo da vizinhança, há dois ou três anos. O edifício de dois andares, rodeado por sebes altas, não possuía janelas no andar superior e lembrava búnquer, refúgio subterrâneo alemão da Segunda Guerra Mundial.
As janelas do primeiro andar eram fortificadas com redes de proteção, como as que protegem os edifícios do governo contra explosões. Verney também descobriu que o número do telefone do edifício era secreto e suspeitou que a origem dos incômodos vinha daquele local.   
AS SUSPEITAS APARECEM
Sem ter a quem mais recorrer, Verney viajou até Londres para alugar um equipamento de gravação. Ao explicar a situação na loja de aparelhos eletrônicos, disseram-lhe: "Parece que o senhor tem problemas com o Departamento de Defesa". Depois de uma breve conversa, puseram-no em contato com um cientista especialista em eletrônica e uma data foi marcada pra que ele visitasse a casa de campo.
Como havia sido combinado, o cientista, que chamaremos de "Sr. D", chegou na casa do dia 18 de janeiro de 1984. Dez minutos depois do Sr. D ter instalado o seu equipamento, Verney foi surpreendido com a chegada de um funcionário da Saúde Ambiental. Muito alterado, o funcionário pediu a identificação do Sr. D e começou a examinar cuidadosamente os aparelhos, para em seguida ir embora.
Depois disso, o Sr. D e os Verney começaram sua vigília, esperando captar os dados necessários para descobrirem o que estava acontecendo. Essa tarde, porém, foi tranqüila, sem barulhos ou vibrações. Às dez horas da noite, os Sr. D decidiu voltar a Londres e guardou todo o equipamento. Antony Verney o acompanhou de carro a Londres e, pouco depois de ter ido embora, os ruídos e vibrações recomeçaram. Doreen Verney sofreu, então, outra noite de "bombardeio".
Depois de sete meses de sofrimento os Verney decidiram vender a casa. A venda foi efetuada no dia 24 de maio de 1984. Em seu diário do dia 20 de maio, Verney lembra que a noite havia sido infernal, o ruído alcançou maior intensidade do que nunca e as vibrações surgiam do solo a uma velocidade espantosa. A casa literalmente sacudiu-se e a partir de suas fundações e os ruídos não cessaram até as sete horas da manhã.
Cansado, os Verney mudaram-se para Sussex, onde dedicaram o resto de suas vidas à busca dos responsáveis pelos transtornos. Os primeiros ministros Thatcher e Major, assim como muitos outros ministros e departamentos, foram interpelados de forma exaustiva. O chefe de polícia de Kent disse que as queixas dos Verney não estavam em sua jurisdição. No entanto, de forma privada foi dito aos Verney que tratava-se de um "assunto secreto do Ministério de Defesa". O Ministério de Defesa continuou negando um esclarecimento dos fatos e os Verney morreram em 1996 sem a solução do problema. Se sua história não tivesse sido confirmada, as reclamações dos Verney poderiam ter sido consideradas uma fantasia. Uma fita de 90 minutos, com uma gravação dos ruídos realizada em janeiro de 1984, foi analisada por Fred Holroyd, oficial da inteligência do Exército, que afirmou que os sons correspondiam ao "ruído branco" da freqüência audível das microondas.   
TORTURA ELETROMAGNÉTICA
Holroyd também destacou que a tecnologia para produzir esses sons é empregada em uma instalação da OTAN na Alemanha, para preparar os pilotos contra a tontura no caso de seus aviões serem capturados por inimigos. Holroyd havia visto a equipe da OTAN "contorcendo-se de agonia", por causa da tortura eletromagnética.   
APOIO MÉDICO
Os relatórios médicos dos Verney apresentam um quadro de grandes sofrimentos. Em junho de 1983, pouco depois da atividade ter iniciado, o casal havia recebido um certificado de boa saúde. Porém, no início de 1984, Doreen começou a sofrer de dores no estômago e a vomitar, esses são os primeiros sintomas de uma doença provocada por radiação. Em agosto foi internada em um hospital de Londres afetada por um câncer no ovário. Depois teve vários ataques de coração e ficou em estado de semi-invalidez sofrendo de dores agudas.
Antony Verney também teve problemas de saúde. Seus relatórios médicos a partir de 1984, registram dores e um metabolismo alterado. No final de um ano, sua coluna sofreu danos irremediáveis e seus dentes caíram.
Os Verney não foram os únicos a serem alvo de armas eletromagnéticas. Um dos casos mais bem documentados é o dos ativistas de direitos civis que fizeram uma manifestação em 1985 no exterior da base de bombardeios Greenham Common, na Grã-Bretanha. Em um dossiê preparado pelo ativista Kim Besly, constam os detalhes dos ataques com microondas dirigidos a partidários da paz. Os sintomas das vítimas são hemorragias retínicas e nasais, náuseas, vertigens, palpitações e enxaquecas.
A lista de sintomas foi revisada pelo ganhador do prêmio Nobel, Robert Becker, que também analisou as gravações dos Verney e outros. Becker chegou à conclusão de que "os companheiros da Sra. Besly enquadraram-se na Síndrome da exposição a radiações eletromagéticas...".
Outro caso é o de Robert Strom, um empregado da Boeing Corporation que morreu de leucemia causada por exposição a radiação de impulsos eletromagnéticos (IEM). Em 1983, Strom alegou que a Boeing o fez ativar um simulador de IEM centenas de vezes por dia, como parte de uma experiência secreta para comprovar os perigos de sua exposição. Em 1990, a Boeing resolveu o caso fora dos tribunais pagando a quantia de 500.000 dólares.   
PROJETO SECRETO
A Boeing também colaborava secretamente com o Exército Aéreo dos EUA em uma base de foguetes em Indiana. Nesse local, Jim Dayton foi exposto à radiação de um gerador de IEM que aplicava 600.000 vátios no seu posto de trabalho. A exposição dos empregados a essa radiação não foi acidental. Naquela época, a equipe médica da Boeing declarava que estava "em uma posição única para aliviar alguns aspectos dos efeitos biológicos sobre o homem".
Essas experiências proporcionaram os conhecimentos necessários para desenvolver armas letais. Esse armamento de nova geração possui muitas vantagens para as comunidades militares e de espionagem. Utilizadas tanto em campo de batalha quanto em uma casa de campo, as armas eletromagnéticas estão destinadas a tranformarem-se em uma mais nova e terrível arma.   

ANTONY VERNEY 
 
Em uma das últimas entrevistas antes de sua morte, Verney descreveu o tormento pelo qual ele e sua esposa passaram em Dargle Cottage:
Havia aquilo... que era introduzido na cabeça como uma broca. Nem sempre fazia barulho, mas ele podia começar a qualquer momento. Minha mulher ficava estérica. Eu perdi a memória e, por causa da falta de sono, ficávamos muito irritados. Aquilo podia durar a noite inteira. Se estivéssemos permanecido ali por mais tempo, estaríamos mortos ou teríamos nos transformado em "vegetais".
 A quem o senhor atribuía a culpa?
No início acreditávamos que estava relacionado com a agricultura. Entramos em contato com um funcionário municipal da Saúde Ambiental, mas este foi transigente e disse que não iria fazer nada. Agora, acredito que era algo relacionado com a Guerra Fria.
O que fez o senhor acreditar que o som era proveniente da casa vizinha?
Na casa existia um edifício muito suspeito, rodeado por uma cerca de quatro metros de altura. Ao redor da casa existia também um bünquer e um falso segundo andar sem janela. Tudo era muito estranho.
O senhor e sua esposa eram um alvo ou apenas estavam no lugar e no momento errados?
Acredito que esse edifício tenha sido construído em 1982 e como apenas íamos para casa nos finais de semana, não se fixaram em nós. Com certeza, surpreenderam-se ao descobrirem que nós havíamos nos estabelecido entre seu campo de testes. Quando começamos a reclamar, é possível que tenha aumentado a intensidade daquilo.   
*****************************************
Antony Verney documentava em seu diário os destaques noturnos em Dargle Cottage. Como revelam essas notas, sua vida era angustiante:
03/01/84 - Noite assustadora, a pior deste Natal. Vibrações, grandes zumbidos e ruídos parecidos com o de uma locomotiva a vapor. Impossível de dormir. Durou até as 2:30h. Forte som escutado rapidamente pelas 3 da manhã.
05/01/84 - Assustadores ruídos e vibrações por toda a noite. Uma novidade: uma espécie de feixe eletromagnético direcionado contra a casa às 3 da manhã, atacou de repente, produzindo dores agudas na cabeça e nas têmporas.
06/01/84 - Outra vez atacados por um feixe. O ruído só parou às 8 da manhã.
07/01/84 - O ruído apareceu novamente... zumbido agudo e repentino.
   *****************************************
   DOENÇAS PROVOCADAS POR RADIAÇÃO
 
Um estudo da Universidade de John Hopkins de Nova Iorque confirmou que a radiação eletromagnética pode produzir uma incomum condição do sangue, conhecido como policitemia. A alteração que afeta uma de cada 200.000 pessoas, produz um grande aumento do número de hemácias. Em conseqüência disso, o sangue fica espesso, produzindo enxaqueca, pressão arterial elevada e em casos extremos, coágulos sangüíneos e leucemia. No microscópio, o espesso sangue policitêmico (acima, à esquerda) se destingue claramente do sangue normal (acima, à direita).
   ARMAS DE MICROONDAS   
O público conhece as microondas por causa dos fornos que utilizam esse tipo de radiação para cozinhar alimentos. Contudo, a mesma tecnologia já existe a anos e foi de grande interesse militar, como é demonstrado em alguns documentos obtidos graças ao Ato de Liberdade de Informação.
Em um dos documentos, Análise das microondas para a guerra de contenção (1972), é explicado que uma das principais finalidades das microondas "é aumentar a exposição de um alvo, permitindo que as armas matem". O documento ainda revela que "Assim que o inimigo se aproxima, o feixe é atividado e, provavelmente ele começará a sentir fortes dores e morrerá depois de 35 segundos". Um esquema (acima) reproduzido no documento ilustra o que ocorre quando o inimigo aproximasse do emissor de microondas. "A intensidade continuará aumentando e o inimigo morrerá antes de chegar a 300 m da barreira".
 


 Os manifestantes a favor dos direitos civís que manifestaram-se em frente à base nuclear dos EUA, em Greenham Common na Grã-Bretanha, anunciaram que, em 1985, foram "varridos" por microondas. Se não fossem pelas provas médicas, as reclamações teriam sido ignoradas. Em um dos protestantes foram diagnosticados queimaduras solares depois de ter passado uma fria noite de inverno no exterior da base.


COM BASE NAS MATÉRIAS VISTAS ACIMA SERA QUE NÃO PODEMOS PENSAR QUE OS EUA ESTÃO COM PROBLEMAS COM SEUS SOLDADOS. PARA ENTRAR MESMO QUE SEJA COMO ASPIRANTE OU VOLUNTARIO HÁ TESTES COMO DE SANGUE E FISICOS VC TAMBEM PASSA POR PSICOLOGOS. BOM SEGUNDOS AS MATÉRIAS DOS JORNAIS SOBRE OS ATIRADORES TEM UM DETALHE QUE NÃO ESTÁ BATENDO, ESTÃO DIZENDO QUE CERTOS ATIRADORES, REPITO CERTOS ( NÃO É TODOS ) TINHA PROBLEMAS DEPRESIVOS E MENTAIS. COMO UM SOLDADO PODE SAIR DA GUERRA OU VOLTAR COM PROBLEMAS MENTAIS E DEPRESIVOS E SAIR ANDANDO JUNTO DA POPULAÇÃO, NÓS NÃO MORAMOS NOS EUA, MAS NO BRASIL ENTÃO DIGAMOS QUE VC É UM SOLDADO E FOI PRA GUERRA OU APENAS UM CONFLITO E VIU AMIGOS MORRER E VITIMAS DE BOMBAS E BALAS PERDIDAS QUE SERIA OS CIVIS, DEPOIS VC VOLTA PARA CASA SEM NENHUMA SUPERVISÃO MÉDICA COMPLETA QUE TERIA UMA SÉRIA DE BATERIA DE EXAMES FISICOS E MENTAIS E COMEÇA A TER PESSADELOS E A FICAR DESCONTROLADO, PERTURBADO PELAS COISAS QUE VIU, SENTIU E  SOFREU. VC ACHE QUE NOSSO GOVERNO VAI DEIXAR VC SOLTO NAS RUAS PARA FAZER COMPRAS IR AO CINEMA SEM AO MENOS PASSAR POR PROFFISSIONAIS QUALIDICADOS COM INUMEROS DIPLOMAS E ALGUNS ATÉ COM MESTRADO. COMO VC SAI DA BASE? COMO VC É LIBERADO POR ESSES PROFISSIONAIS SE VC TEM PROBLEMAS MENTAIS E TENDENCIAS DE PEGAR UMA ARMA E SAIR MATANDO TODO MUNDO PELA FRENTE? FAZ SENTIDO CARO LEITOR? SERIA PARANÓIA MINHA? OU TEM ALGO MAIS?
OUTRO PONTO DAS MATÉRIAS DOS ATIRADORES É QUE TEVE O MAIS RECENTE CASO UM CERTO MISTÉRIA DIGAMOS ASSIM, "Nós encontramos comunicações relevantes dele, em formato eletrônico, que indicam a crença ilusória de que ele estivesse sendo controlado por ondas eletromagnéticas de extremamente baixa frequência nos últimos três meses", disse.
ISSO É O QUE DIZ O JORNAL ...
O SUPOSTO 'controlado' por ondas eletromagnéticas.
QUE O JORNAL COM CERTO TOM DE ZOAR OU TIRAR UMA COM A CARA DO HOMEM AFIRMANDO QUE ERÁ UMA crença ilusória BOM NÓS VIMOS MUITA COISA NAS MATÉRIAS ACIMA QUE FALA SOBRE O HAARP E COMO O CORPO HUMANO FUNCIONA COM DETERMINADAS FREQUENCIAS ISSO É UM FATO E NÃO CRENÇA ILUSÓRIA COMO DIZ PESSOAS QUE NÃO TEM O CONHECIMENTOS DOS FATOS QUE ACONTECE NO NOSSO MUNDO QUE DIZ RESPEITO A ACOBERTAMENTE E ASSUNTOS SECRETOS E COMO O GOVERNO AMA MENTIR PARA SEU AMADO POVO. VEMOS ISSO COM POLITICOS TODO SANTO MÊS AQUI NO BRASIL. HÁ MUITAS E MUITAS INFORMAÇÕES SOBRE COISAS QUE O GOVERNO FAZ QUE NÓS CIVIS E CIDADÕES DEVEMOS PENSAR E AVALIAR COM CALMA JUNTANDO ASSIM OS FATOS. COMO A MAIORIA DA POPULAÇÃO ACORDA CEDO ( SOL NEM NASCEU ) PARA TRABALHAR E CHEGA COMPLETAMENTE " ACABADO" TOMA UM BANHO E ASSISTE RAPIDAMENTE NO HORARIO DA JANTA E LOGO VAI DORMIR. NAS FOLGAS E FERIADOS E SÓ DESCANÇO. BOM ISSO É NA MAIORIA. MUITOS TEM QUE RALAR PARA TER O QUE SE SUSTENTAR NO FINAL DO MÊS E NÃO PASSAR FOME. ISSO PORQUE É UMA VERGONHA O SALÁRIO DESTE PAIS. A MORAL DESTE PONTO DA MATÉRIA É QUE A POPULAÇÃO MUITAS VEZES NA MAIORIA ( NEM TODOS ) NÃO TEM TEMPO PARA PESQUISAR, ESTUDAR, JUNTAR OS FATOS, LER VÁRIAS NOTICIAS NA INTERNET COMO VÁRIOS TEMAS INCLUINDO O QUE EU E VC LEITOR DESTE BLOG ESTÁ ACOSTUMADO A VER COMO ( UFOLOGIA, PARANORMAL, SOBRENATURAL, CIÊNCIA, AVANÇOS TECNOLÓGICOS E PESQUISAS EM DESENVOLVIMENTO COMO CURA DE DOENÇAS E TECNOLOGIA DE ÚLTIMA GERAÇÃO, ASTRONOMIA, VIDA EM OUTROS UNIVERSOS, INFORMAÇÕES QUE O GOVERNO OCULTA , AS MENTIRAS GLOBALIZADAS QUE A MIDIA CONTA TODOS OS DIAS E AFINS ) EU E VCS PELO QUE POSSO PRESUMIR SEMPRE ESTÃO LENDO MATÉRIAS DESTE TIPO E RECOMENDO O SITE DO HISTORY CHANNEL QUE É ÓTIMO SOBRE INFORMAÇÕES QUE TEM ALGUMAS COISAS DAS VÁRIOS ASSUNTOS QUE ESCREVI NAS LINHAS ACIMA. NEM PARA LER AS NOTICIAS DO HISTORY CHANNEL ESTAS PESSOAS TEM TEMPO. E NÃO É CULPA DELAS SE ESTÃO QUEBRADOS(A) DO TRABALHO, MAS TER PREGUIÇA POR INFORMAÇÃO DAI JÁ É UM POUCO MAIS COMPLICADO. OU ATÉ MESMO NÃO SABEM USAR A INTERNET OU NEM COMPUTADOR TEM. MESMO PORQUE COM UM SALÁRIO DE $ 600,00 CENDO QUE MUITOS RECEBE DIA 05 $400 E DIA 20 RECEBE $200. HÁ UM AMIGO PRÓXIMO QUE ESTAVA TRABALHANDO EM UM MERCADO E O QUE ACONTECEU É QUE NO SEGUNDO MÊS DE $856,00 FORAM TIRADAS $200,00 DE VÁRIOS BENEFICIOS COMO FÉRIAS, INSS, VALE TRANSPORTE ENTRE OUTRAS COISAS E ERA O 2 MÊS OU SEJA SOBROU $600,00 E DAQUELE JEITO DIA 05 $300,00  E DIA 20 $ 300,00 COMO PODERIA COMPRAR UM COMPUTADOR DE 2 MIL  OU ATÉ DE 1 MIL DIGAMOS... LÁ VAI PARCELAR EM 12 X. ENTÃO NEM TODOS TEM ACESSO A INFORMAÇÃO E É UM CONJUNTO DE MUITAS COISAS QUE LEVA A NÓS LEITORES A PENSAR ( TEM MUITA GENTE QUE NÃO TEM INFORMAÇÕES COMO NÓS QUE COSTUMAMOS ESTUDAR, LER OU ATÉ PESQUISAR AS VEZES POR CURIOSIDADE TODOS OS ASSUNTOS E MUITO MAIS QUE LISTEI LOGO ACIMA HÁ ALGUMAS LINHAS). OS JORNAIS INCLUINDO ESTE QUE PEGUEI AS MATÉRIAS SABEM DISSO TAMBEM E COLOCAM COMO SE O CARA FOSSE LOUCO ( PODE SER QUE ESTE FOSSE, MAS NEM TODOS SÃO LOUCOS SE AGENTE PARAR PARA PENSAR NOS PODRES DOS GOVERNOS AGENTE TEM QUE ABRIR OS OLHOS PARA TUDO QUE ACONTECE A NOSSA VOLTA O TEMPO TODO).COMO POR EXEMPLO NÃO FICAR VENDO JORNAIS DE TV COMO "JN" POR EXEMPLO. JORNAIS DE TV APARECE MAIS DESGRAÇA QUE NOTICIAS BOAS, COMO PESQUISAS NA CURA DO CANCER ENTRE MILHÕES DE OUTRAS COISAS BOAS E PARA TODOS NÓS COMO NOVAS TECNOLOGIAS E ACHADOS ARQUEOLÓGICOS AO REDOR DO MUNDO AO INVEZ DE NOTICIAS ASSIM ELES ACABA PASSANDO NOTICIAS DE ROUBO, ESTUPRO, TRÁFICO, MORTE POR ACIDENTES ENTRE OUTRAS COISAS BOBAS E SEM NOÇÃO. HÁ SIM INFORMAÇÕES BOAS NOS JORNAIS DA TV MAS ACABA 20 NOTICIAS 3 SÃO BOAS. ESSA É A PORCENTAGEM DE DIFERENÇAS ENTRE O JORNAL DA TV E A INTERNET COM SITES CONFIAVEIS TAMBEM, MESMO PORQUE NÃO ACREDITE EM TUDO NA INTERNET EU SEI E APÓIO ISSO. LEIA,LEIA E LEITA MAIS MUITO MESMO. PORQUE SÓ ASSIM VCS TERAM MENTE ABERTA E SABERAM DE TUDO UM POUCO . ARRANJE TEMPO OU SACRIFIQUE OUTRAS COISAS PARA LER E LER. NÃO POSSO PROVAR QUE OS ATIRADORES FAZ PARTE DE UM ESQUEMA DO GOVERNO MUITO MENOS DIZER QUE SÃO FRUTOS DO HAARP, MAS HÁ MUITA COISA MAL EXPLICADA EM RELAÇÃO AO QUE A MIDIA DIZ COM O QUE EU LEIO E UMA INFORMAÇÃO ESTÁ COLIDINDO UMA COM A OUTRA E FATOS SÃO FATOS, EU JUNTOS CADA PEDAÇO DE FATO, COLOCO NUMA LISTA E FAÇO UMA BALANÇA DE TUDO... DEPOIS JUNTO CADA PEDAÇO COMO UM QUEBRA CABEÇA ATÉ COMPLETAR E CHEGAR AO VEREDICTO COMPLETO. RECOMENDO QUE FAÇAM O MESMO E LEMBRE-SE SEMPRE MANTENHA OS OLHOS ABERTOS E CUIDADO COM QUE FALA POR AI, NUNCA SE SABE QUEM ESTÁ ESCUTANDO.