domingo, maio 20, 2007

Continuação O Governo Secreto 3 Parte










** O Chupacabra em Amparo (SP) **



O ufólogo Juquiel dos Santos, esteve em vários locais, estudando as possíveis aparições do Chupacabra na região de Amparo. Entre elas está a que aconteceu no Jardim das Aves em 1.997. Juquiel foi chamado para presenciar algumas pegadas moldadas em gesso, no lugar onde tal criatura supostamente teria aparecido.



Tais pegadas analisadas tinham a característica de um bípede, com estatura de 1,60 metros e aproximadamente 100 Kg, devido as marcas deixadas no chão.
Na época várias pessoas analisaram o molde de gesso que foi tirado no local, mas estas não souberam diagnosticar qual era o tipo de animal. Um veterinário afirmou ser, supostamente pegadas de um felino de grande porte. Pessoas que moram nas poximidades do local, afirmam que os animais ficaram nervosos e barulhentos.



Também em 1.997, no distrito de Três Pontes, numa chácara, o suposto Chupacabra teria atacado, matando 29 galinhas com um furo no peito, sem sangue. As mortes aconteceram durante a noite, mas só notou-se que as galinhas estavam mortas por volta das 15:00 horas, pois a família não ouviu nenhum barulho. Porém, um entregador de água ouviu alguns barulhos estranhos próximo ao galinheiro, perguntando inclusive se havia algum cavalo próximo ao local. Constatou-se no galinheiro alguns vestígios do animal. Juquiel dos Santos conseguiu retirar do arame do galinheiro "Pelos" do suposto Chupacabra, o qual foi levado para análise. Também as pegadas que estavam no galinheiro eram semelhantes às do Jardim das Aves, de acordo com Juquiel dos Santos. Ele diz também que as pegadas eram novamente de um animal bípede (duas patas) de médio porte. A forma de matar era totalmente estranha, pois havia ave com um furo só e sem sangue.
A conclusão que o ufólogo Juquiel dos Santos nos dá é a seguinte : O chupacabra aparece em diversas regiões e em formatos diferentes, que vão desde um macaco até um animal exótico hematófogo (que se alimenta de sangue). O animal arranca o cérebro, visceras, olhos e corações das vítimas com "precisão cirúrgica". Para Juquiel não há motivos para alardes, pois o Chupacabra existe desde 1.958 nos Estados Unidos, México, Costa Rica, Porto Rico, Paraguai, Argentina e Chile. No Brasil supostamente tem aparecido nos estados do Rio Grande do Sul, Paraná, São Paulo, Minas Gerais e Bahia.
Juquiel ainda explicou que 85% são fenômenos naturais, ou seja, predadores comuns de nossa fauna, 10% é sensacionalismo ou atos irresponsáveis de "narcisistas" (Doença Psicológica) e 5% são fenômenos misteriosos provavelmente contato extraterrestre de terceiro grau.



** Chupacabras teria atacado no Jardim Novo I, em Rio Claro (SP) **





































Crianças do bairro seguram algumas das aves mortas



Seis galinhas e um galo morreram misteriosamente na madrugada de 08/07/1997, no Jardim Novo I, em Rio Claro. De acordo com moradores do bairro, as aves foram achadas com perfurações estranhas e totalmente sem sangue. Os corpos estavam espalhados pela rua 9. As penas, arrancadas, denunciavam que as aves tentaram lutar com o animal que as matou. Segundo a reportagem do "Diário do Rio Claro", que também esteve no local, os moradores chamaram a Polícia Militar, mas ela não compareceu ao local.



O primeiro morador do bairro que se deparou com as aves mortas foi Francisco Uchôa, que contou ter ouvido barulhos desde a madrugada. Disse ainda que, por volta das três da madrugada, levantou e decidiu espiar por uma janela. Ele garante que se deparou com um bicho preto, grande e peludo. Media menos de um metro de altura. As aves mortas eram de Francisco.
Uchôa contou à reportagem do "Jornal Cidade" que as galinhas tinham três perfurações estranhas, enquanto que o galo apresentava um único furo, também misterioso. O trabalhador notou que havia pegadas grandes "como se fossem patas de um tigre" no chão de terra.
Com medo, várias vizinhas combinaram dormir juntas numa única casa, com medo do "terrível Chupacabras".












Alguns moradores nem dormiram direito, com medo do suposto Chupacabras


Maria de Fátima daSilva Costa (33)


"A matança aconteceu ao lado da minha casa. O galo e agalinha gritavam e os cachorros latiam como se quisessem atacar algum bicho estranho. De cinco em cinco minutos a arruaça começava de novo. Fiquei com medo de sair, pois podia ser uma cobra atacando, mas podia ser também um chupacabras."








Maria IrineuUchôa (34)


"Eu acordei mais ou menos às 2 horas, com os cachorros latindo e as galinhas gritando. Acordei meu marido, que abriu a janela e viu o bicho. Todo barulho demorou mais de uma hora. De manhã, vimos as galinhas mortas, sem sangue. Tenho medo que o bicho ataque de novo. Eu acho que é o chupacabras."



Neuza Zampierida Cruz (45)





"Ouvi os cachorros latindo entre uma e duas horas. Mas meu marido disse que ouviu ruídos estranhos. não estranhei muito, pois a cachorra da vizinha está no cio e achei que fosse ela fazendo arruaça. Quando levantei e vi as galinhas mortas, só com os furos e sem sangue, fiquei assustada, pois o bicho pode voltar."





Ronaldinho’ Também Foi Atacado - João Alfredo Tomás da Silva Mello na época presidia a União de Proteção aos Animais de Rio Claro. Ele esteve no Jardim Novo I, juntamente com Ana Cristina Ignatti, pesquisadora do Ufo-Gênesis. Eles souberam de uma nova "vítima" do suposto Chupacabras: o cachorro "Ronaldinho". O pobre animal apresentava um furo com mais de três centímetros de profundidade no peito. "O animal apresentava um furo redondo no peito, bem junto ao couro, para o lado do pescoço num ângulo de mais de 45 graus. Provavelmente o furo foi feito por alguém com um estilete ou um ferro redondo usado na Construção Civil", comentou João Alfredo.





João acredita também que as galinhas e o galo podem ter sido atacados por cães, uma vez que as perfurações nas aves não eram tão profundas como em Ronaldinho.
Passados mais de quatro anos do incidente não houve mais mortes estranhas naquela bairro. Nunca se comprovou que os ataques da madrugada de 08/07/1997 foram realmente de Chupacabras. O mais provável, conforme o Grupo Ufo-Gênesis verificou em vários casos semelhantes, é que alguma pessoa tenha liquidado as aves e jogado a culpa no predador extraterrestre, que na época metia muito medo em várias regiões brasileiras. Em boa parte dos casos pesquisados na região de Piracicaba os ataques foram de animais típicos do Brasil, como o Lobo-Guará e a Suçuarana, que possuem hábitos noturnos.





O cachorro "Ronaldinho" teria sido outra vítima do suposto Chupacabras








** Chile acusa NASA de esconder a verdade sobre o chupacabra **





O jornal chileno Diaro El Sur, de Concepción, Chile informou que pesquisadores chilenos anunciaram no dia 11 de junho que vão pedir ao seu governo, através do Ministério da Defesa, para que investigue a suposta responsabilidade da NASA nos ataques do Chupacabras que vêm ocorrendo naquele país nos últimos meses.
Os ufólogos disseram num congresso que existem rumores de que cientistas da NASA perderam o controle de pelo menos 3 experiências genéticas no Chile. Eles podem ser os responsáveis pela matança dos animais domésticos.
Vários animais domésticos apareceram mortos pela primeira vez em Calama, no fim de abril. Mortes parecidas também aconteceram em outras localidades.
"Muitas pessoas concordam que viram algum tipo de macaco ou mandril de aparência humana com grandes olhos se movendo rapidamente", disse o diretor do grupo Ovnivision, Cristian Riffo.
De acordo com seus pesquisadores um desses animais foi capturado pelas forças armadas chilenas nas redondezas da mina de Radomiro Tomic, em Calama, onde até mesmo um soldado morreu.
Por esta razão, Riffo disse que vai se encontrar com o ministro da defesa para esclarecer os fatos. Eles também vão pedir ao exército que explique a morte do soldado.




** Chupa CabrasO Fenômeno **




Há quase duas décadas, em termos mundiais, a imprensa mais sensacionalista e as organizações civis amadoras comprometidas com a investigação da questão UFO têm dado divulgação a um fenômeno que se popularizou sob a denominação de "Chupa Cabras". Ele começa a ser tratado ao lado de estranhas mutilações verificadas em mamíferos quadrúpedes, especialmente gado vacum, eqüinos e caprinos, além de porcos criados livres, fora do regime de cativeiro.




Nesse caso, os animais, ao serem encontrados mortos nos pastos, apresentam mutilações curiosíssimas: língua, massa encefálica, lábios, órgãos genitais, olhos, tecidos cutâneos das regiões abdominais, coração, dentre outros órgãos, isolada ou conjuntamente. A extração é cirúrgica, sofisticada, impraticável em termos da nossa tecnologia terrestre – daí a relação que se tem feito com os UFOs – apresentando, dentre outras características, incisões e cortes com separação celular, quer dizer: as células da área da incisão ou do corte não são danificadas, mas separadas, como um "zíper". Em outros casos, órgãos grandes têm sido retirados por orifícios desproporcionalmente pequenos, ou localizados em posições aparentemente sem lógica, na medida que outros pontos poderiam representar um acesso muito mais objetivo. Todo o enraizamento nervoso dos órgãos retirados acompanha o material, intacto! O animal morto apresenta-se num estado onde não há evidência de luta ou de medo. A vegetação em volta não se recupera facilmente, ficando sempre vestígios de algum tipo de radiação desconhecida, e que tem comprometido, por alguma razão, a plena recuperação do pasto, por exemplo.




Outra característica interessante é que o animal desidrata-se sem apodrecer ou exalar mau cheiro, não atraindo abutres ou outros animais carnívoros. Essa característica, em espacial, é que liga o fenômeno ao tema "Chupa Cabras", embora no caso é a ausência de sangue que se verifica, e não de órgãos. As incisões para a drenagem sangüínea, além de se localizarem em geral em pontos, são realizadas por técnicas absolutamente desconhecidas, não resultando feridas ou ruptura de tecidos ou, então, orifícios duplos de características bem peculiares. Morto, o animal decompõem-se sem putrefação e cheiro, como no caso das mutilações.
Tanto num caso como no outro, fenômenos luminosos antecederam ou se sucederam ao episódio, além de terem sido notados testemunhos que garantem ter visto estranhas máquinas voadoras, aparelhos esquisitos suspensos no ar, além de seqüestros de novilhos, capturadas por feixes de luz provindas de "nuvens" ou bolas e pratos gigantes, com brilho metálico. Criaturas diversas também foram flagradas, apresentando normalmente aspecto grotesco, de pequena estatura (50 a 110 cm), entre "peludos", "tipos lagartos bípedes", "tipo robô", criaturas com grandes dentes e garras, dentre outros tipos mais. Alguns saíram de grutas ou entraram nelas, ou d’água (rios e lagoas), ou de máquinas do gênero "disco voador".
É verdade que humanos já foram vitimados por tais agentes desconhecidos. Os "Chupa Cabras", registros documentados por autoridades militares brasileiras nos estados do Pará, Tocantins, maranhão e Amazonas, por exemplo, atacaram pessoas, inclusive profissionais ligados à área de saúde pública e controle de endemias, dentre outros, como lavradores e pescadores, seringueiros, carvoeiros e madeireiros, ao que se sabe, por conta do sigilo oficial sobre o caso, onde, vale registrar, o falecido General Alfredo Moacyr de Mendonça Uchôa, no final da década passada e no início dos anos noventa.





Do que se trata isso? Em primeiro lugar o fenômeno é conhecido há muito tempo, sob as mais diversas denominações. Está no folclore de todas as culturas, à volta de todo o mundo. Em particular, no caso brasileiro, nos mitos populares interioranos e nas lendas indígenas. "Eles", os Chupa Cabras são conhecidos, não na versão em que se tem apresentado. Já foram objeto de curiosidade e respeito. Já foram "caçados" também, é verdade (Ilha do bananal e região sul-goiana de Paraúna) e até, de certa forma, também "venerados" (caboclos e indígenas aculturados, mestiços, povos da floresta).
Alguns ufológos supõe que essas criaturas sejam uma espécie de "bichinho de estimação" dos Ets para colheita de elementos necessários para investigação dos mesmos.
As possibilidades dessas criaturas serem originárias do próprio planeta Terra também é grande. Há aqueles que acreditam ser seres "intraterrenos", que sempre viveram nos subterrâneos do planeta ou em outras dimensões, e estariam deixando seu ambiente e invadindo o espaço dos humanos para se alimentar do sangue de presas fáceis como os gados, porcos, galinhas, etc. O motivo dessa invasão? Talvez estejamos também alterando o meio ambiente em que essas criaturas vivem e dessa forma forçando-os a procurarem meios de sobrevivência fora dele.
Também na região de Piracicaba, o Grupo Ufo-Gênesis esteve atendendo à várias ocorrências envolvendo supostos ataques de chupacabras à animais. Um deles em especial chamou a atenção da mídia local e teve grande repercussão devido ao fato de, apesar de não ter havido nenhuma vítima, a pessoa moradora em uma fazenda nas proximidades de Piracicaba viu a criatura que supôs ser o tal "Chupa Cabras". Na época, em 1997, a testemunha fez um retrato falado da criatura, que mais se assemelhava à um grande pássaro, com uma espécie de tromba e algumas manchas nas costas.





O desenho, um tanto quanto suspeito (pois ficava fora das maioria das descrições da criatura pelo mundo) foi visto, alguns anos depois, por um grupo de estudiosos de da cidade de São Paulo que entrou em contato com o Grupo Ufo-Gênesis em Piracicaba e disseram que ficaram muito interessados no caso, pois o retrato falado do suposto "Chupa Cabra" se assemelhava muito com uma criatura pré-histórica, que viveu na época jurássica, "O pterossauro". O citado grupo é especialista em estudos que envolvem descobertas de criaturas primitivas no mundo , e conta com um grande volume de fotos envolvendo estranhas aparições e capturas desses tipos de animais.
Recentemente o Chile acusou a NASA de ter criado e perdido o controle sobre o Chupa Cabra os chilenos disseram num congresso que existem rumores de que cientistas da NASA perderam o controle de pelo menos 3 experiências genéticas no Chile. Eles podem ser os responsáveis pela matança dos animais domésticos. Muitas pessoas concordam que viram algum tipo de "macaco" ou mandril de aparência humana com grandes olhos se movendo rapidamente.








Uma das lendas do chupa-cabra diz que ETs estão fazendo experiências com os nossos animais. Em setembro de 1960, na Bolívia, foi a primeira vez que se ouviu falar de um animal morto misteriosamente. Já em 1967, ocorreu em Denver, nos EUA. Após 11 anos, foram registrados alguns casos em Porto Rico. Em 1995, mais mutilações aconteceram no México e em Porto Rico. Um ano depois, no Brasil, e a partir de 2000 na Nicarágua, Chile, Argentina e novamente nos EUA. As ovelhas, bois, cabras, cachorros, galinhas, cavalos e gansos foram achados mortos, mutilados, sem sangue nenhum no corpo e também sem alguns orgãos.





bom isso é tudo que eu pude achar sobre Mutilação de Gado E Chupa cabras .



** Marte **







Um comentário:

GRUPO FOLIÕES disse...

O Chile quer que a NASA indenize as gainhas que os palafitados famintos roubaram. Se a moda pega... Órgãos são retirados de animais para fins desconhecidos e quem paga são os ETS, que tiveram que interromper uma pacata viagem de turismo aos Andes por causa do pânico afrescalhado dos moradores. Enquanto isso, Lula continua indo e vindo e ningem diz nada, não vê nada, não sabe de nada. E Sarney vai ficando... coisas de outro mundo.